Patrimônio de líderes da Igreja Maranata, investigados por desvio de dízimos, cresceu seis vezes.

Patrimônio de líderes da Igreja Maranata, investigados por desvio de dízimos, cresceu seis vezes.

As investigações do Ministério Público a respeito da administração da Igreja Maranata descobriu um aumento do patrimônio de alguns dos principais líderes da denominação em até seis vezes.
Descobriu-se ainda que a movimentação nas contas correntes dos investigados foi até dez vezes maior do que o declarado ao Imposto de Renda. A análise do patrimônio e finanças dos investigados vem sendo feita pela equipe do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).
 
A Igreja Maranata está há mais de um ano sob investigação por denúncias de desvio do dízimo de fiéis através de notas fiscais frias e superfaturamento de materiais e bens comprados pela direção da denominação.
 
O dízimo desviado “era utilizado por determinados membros para investimento em bens e vantagens particulares”, afirmou o relatório da investigação, de acordo com informações do site A Gazeta.
 
Uma disputa judicial foi travada para garantir que Gedelti Victalino Gueiros, um dos diretores afastados, possa ser reconduzido ao cargo de comando na igreja. Ele e outros integrantes da cúpula da igreja tiveram bens bloqueados e foram impedidos de entrar na sede da administração da igreja, em Vila Velha, Espírito Santo.
 
O pastor obteve um habeas corpus que revertia o afastamento de Gueiros, porém, o mesmo continua impedido de assumir o cargo ou acessar o prédio da sede administrativa pois a decisão da juíza Sayonara Couto Bittencourt Barbosa, da Vara de Inquéritos Criminais de Vitória, ainda não foi revogada.
 
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *