Biblias chegam pelo céu

Biblias chegam pelo céuBiblias chegam pelo céu

Exemplares chegam inusitadamente pelo céu, surpreendendo coreanos

A estratégia simples, que surpreendeu os norte-coreanos, já levou também 100 mil Bíblias à China; muitos se perdem, mas algumas acabam nas mãos de pessoas ansiosas em conhecer a Bíblia


Na Coréia do Norte, mais de 10 mil cópias da Bíblia foram distribuídas por meio de balões, graças à iniciativa da organização International Christian Concern (ICC), com sede nos Estados Unidos. A ICC realiza atividades de monitoração e ajuda às comunidades cristãs que sofrem perseguição no mundo. A Coréia do Norte é um dos países que mais oprimem cristãos. A entidade informou que pensou na utilização de balões para atravessar o território coreano por ser um dos locais mais militarizados do mundo: “É um dos países mais fechados, onde as perseguições são terríveis”, explica.

Segundo um relatório da ICC, a igreja na Coréia do Norte luta para difundir o Evangelho. “Atos de culto ou a simples posse de uma Bíblia podem ser punidos com a reclusão em campos de concentração”, lembra o relatório. As Bíblias foram embaladas em pacotes com mil cópias e amarradas em balões que são “explodidos” em seguida, em intervalos de tempo pré-estabelecidos. As Bíblias naquele país chegam a ser confiscadas pelo exército, e são comercializadas no mercado negro, já que a Coréia é administrada por militares comunistas. O preço dos exemplares é bastante alto, devido à sua escassez.

Segundo estimativas atuais da organização, existem 440 mil cristãos na Coréia do Norte. A equipe também distribuiu mais de 100 mil Bíblias na China usando o mesmo método. A ICC lembrou ainda em seu site que, no século atual, mais cristãos foram assassinados por sua fé do que em qualquer outra época. O número pode chegar a 200 milhões de pessoas. “A igreja perseguida sofre com essa guerra, principalmente onde o Evangelho foi estabelecido em regiões onde ele não existia ou quando é oprimido por outras religiões”, informa o site da organização.

Com informações: Protestantismo

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *