Liberdade, sempre tão almejada

A liberdade, sempre tão almejada.

Principalmente por nós, jovens. Lembro dá ansiedade pra fazer 18 anos, aquela ilusão de que com 18 anos somos totalmente independentes, que seremos, finalmente, livres. Mas liberdade do que? Liberdade pra que?

      Charles E. Hummel¹ diz que liberdade não é apenas ausência de obstáculos, confinamento ou repressão. Para ele: “Liberdade é a condição em que algo preenche o propósito para o qual foi designado”. Então, entenderemos o propósito da nossa liberdade a partir do momento no qual compreendermos o propósito pelo qual fomos criados,
sendo que a Bíblia retrata  que fomos criados à imagem e semelhança de Deus, para uma vida de obediência, em amor ao nosso Criador. Sendo assim, nós somos livres para obedecer a Deus, livres para expressar o seu amor aos que estão ao nosso redor, livres para cuidar da Terra e de suas criaturas.

     Charles explica a liberdade através do exemplo de um carro, que embora tem sido construído para trafegar rápido sobre uma estrada pavimentada, se buscar uma liberdade fora da estrada, corre o risco de sofrer danos tanto no próprio veículo, quanto nos passageiros no seu interior.


      Então se fomos criados para ser livres, porque não nos sentimos livres, e continuamos a buscar essa liberdade? O problema é que algo saiu errado, queríamos ser como Deus, escolhemos sair


da estrada da vontade de Deus e construir nossa própria estrada, e ao violarmos as regras para que fomos criados, batemos. Assim, entrou o pecado em nossas vidas, e como consequência, perdemos a liberdade. Foi como se a cada erro nossa a estrada começasse a ficar esburacada, ficando difícil trafegar nela como antes, embora tentássemos “tapar-buraco”, não era suficiente, a estrada foi ficando desgastada, e a velocidade precisaria ser diminuída, até chegar um momento em que, nenhuma operação de manutenção da rodovia seria suficiente para ela voltar a ser trafegável; era necessário, então,  refazer a rodovia. E o único que poderia fazer de novo a rodovia era Deus, então nesse momento Ele demostra um imenso amor por nós, e entrega o seu Único Filho, para morrer em nosso lugar. Assim todos nossos erros, falhas, pecados, poderiam ser perdoados. E então teríamos uma nova estrada para trafegar…
     E foi isso que Jesus fez por nós, o preço para termos de volta a liberdade que nós havíamos jogado fora, foi o seu sangue, Ele morreu para que pudéssemos ser livres. E esse é o verdadeiro sentido da Páscoa, antes a liberdade do povo de Israel do Egito, hoje a nossa liberdade que nos foi dada através da morte de Jesus, pois ao terceiro dia Ele ressuscitou, e ao vencer a morte nos deu uma nova estrada, nos deu perdão, nos deu uma nova chance de nos reconciliarmos com Ele, no deu uma nova vida.
E o que temos feito com essa liberdade?
 

“Portanto, se o Filho os libertar, vocês de fato serão livres” (João 8:36-NVI)

¹ Livro: Livres da Tirania da Urgência

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *