QUANDO O CRISTÃO NOS CRUCIFICA

QUANDO O CRISTÃO NOS CRUCIFICA.

   Há tempos que estou pretendendo escrever um artigo sobre um fato que tenho observado no meio evangélico e que muito tem me incomodado, mais ontem ao responder uma pergunta no site, foi como se fosse a gota d’água. “Chegou a hora de falar”. Pensei eu.
Dos problemas relacionados a evangelização tem um que se destaca mais do que outros, não é o mundo e os pecados dos dias atuais, pois pecado sempre existiu no mundo e sempre vai existir, nem as formas de evangelização, nem tão pouco a dureza de coração das pessoas para aceitarem a palavra de salvação.
   Para mim o problema maior para a evangelização é um problema interno as igrejas. E atende pelo nome de Crente, cristão, fiel da palavra. Mais como assim? você deve estar se perguntando, os cristão somos todos nós. De fato, mais há uma característica no cristão, em algumas igrejas mais acentuadas do que em outras é verdade, e tão combatida nas pregações do próprio cristo. E se analisarmos é tão evidente que chegamos a não mais notar.
   Quando nos tornamos cristão, começamos um processo de auto análise das nossas próprias condutas, isso é natural e saudável, uma vez que queremos nos melhorar como seres humanos, nos tornando mais puros e santos, conforme a palavra de Deus vem nos instruir.
16 porquanto está escrito: Sereis santos, porque eu sou santo.
1 pedro 1:16
   Esse processo passa ser uma característica própria do crente. Analisar sua conduta conforme as instruções recebidas de Deus. O problema começa quando não nos limitamos a analisarmos somente a nós, e começamos a olhar para os lados, naquilo que deveríamos analisar somente em nós, o fazemos também no irmão.
Se concluir nossas falhas chega a ser claro e evidente, também chegamos a essa conclusão na vida do irmão. Vê o exterior sempre foi mais fácil do que vê o próprio interior.
Ao que o Senhor lhe disse: Ora vós, os fariseus, limpais o exterior do corpo e do prato; mas o vosso interior do copo e do prato; mas o vosso interior está cheio de rapina e maldade.
Lucas 11:39

   Mais de certa forma, isso pode ser até salutar, pois a bíblia nos exorta a admoestar uns aos outros. Se com amor, levamos uma palavra de incentivo e de libertação, ao irmão que aprendemos amar em cristo, é algo louvável, o mesmo não se dá quando o assunto é ensinar a palavra aos perdidos.
Observe meu diálogo com um rapaz e suas dificuldades para prosseguir na casa de Deus.
Anônimo Disse:
    pastor eu não sei o que fazer a 20 anos atrás eu era evangélico e desviei da presença do senhor e seu sempre fui gay e sempre lutei com este desejo dentro de mim e por isso sai da igreja ate porque eles não me aceitava, hoje com 33 anos estou voltando a igreja e sinto o mesmo desejo só que estou tentando suporta este sentimento mais esta difícil vejo eles falando sobre gays e dizendo que isto e coisa do diabo mais como este desejo não sai de mim vivo orando a Deus para me liberta e nada, vivo jejuando e na igreja direto não quero sair da igreja mais este desejo não me larga me ajude sei que a bíblia condena a gente que e gay, mais porque não somos liberto eu sinto que já nasci assim ate porque não sinto atração por mulheres, a paz do senhor Jesus.
Pastor Julio Fonseca Disse:
A luta contra a carne é algo cotidiano, você sente o desejo homossexual, outro uma vontade trair a esposa, outro uma raiva infundada, e assim por diante. Paulo dizia que cada um tem um espinho na carne e que cabe a nós vencer, a bíblia nos diz que Deus não daria a nós um fardo que não descemos conta de carregar. Cada um com sua luta, mais para aqueles que tem fé e buscam a Deus encontram o consolador e força para vencer suas batalhas. Meu irmão, infelizmente no meio evangélico existe muito preconceito e muito julgo. Porém saiba que aqueles que conhecem a vontade de Deus não nutrem outro sentimento pelo próximo a não ser amor e fraternidade. Eu te amo em cristo Jesus e não me importo com seu passado. Estou aqui e participo do seu presente como um amigo. Assim como eu existem outros que você encontrará em sua vida que também estenderão a mão e não o julgo! Deus seja contigo!
   Fica fácil notar o preconceito e a dureza de coração para receber o pecador. Para mim o cristão deveria repetir sempre para sí mesmo: “Amo o pecador, mais abomino o pecado, amo a todos e rejeito o demônio que habita nos corações humano”.
Para mim não existe pecadinho e nem pecadão, pecado é pecado e ponto final, porém existe uma tolerância enorme para alguns pecados porém outros parece que ofende quem deveria doutrinar e evangelizar. Quer um exemplo: Você seria tolerante se um pecador viesse confessar a você seu pecado e ao mesmo tempo se dispusesse a abandoná-lo. Se dizendo.
  • Homossexual.
  • Pedófilo
  • homicida.
  • Adultero
  • Ladrão.
   Estes são alguns exemplos de pecados que escandalizam, quando na verdade aquele que se propõem a salvar uma alma não deveria se escandalizar, mais se colocar como colaborador, para que o pecador encontre em Jesus salvação e misericórdia.

Sede misericordiosos, como também vosso Pai é misericordioso.
Lucas 6:36

Jesus foi enfático ao condenar o julgamento do pecador.
Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados.
Lucas 6:37

   Com isso ele não nos dá o direito de repudiar a ninguém, mais estender a mão no intuito de ajudar a quem precisa desesperadamente de Jesus e da sua misericórdia. É lindo vê uma pessoa abandonar um pecado que escandaliza e revelar o poder de transformação que a palavra de Deus efetua nos corações, todos se emocionam, porém devemos analisar nossa disposição para ajudar o pecador a encontrar a salvação. Pois de todos somos devedor.
Eu sou devedor, tanto a gregos como a bárbaros, tanto a sábios como a ignorantes.

Romanos 1:14

   Navegando em sites cristão vejo a sede de alguns em expor as feridas dos demais, como se as chagas dos cristãos fosse algo que dessem prazer a eles em expô-las. Antes se contentavão em dizer o erro cometido por líderes, artistas ou pessoas notórias, apenas como repórteres dos acontecimento, mais hoje tem reinado o tom sarcástico e intitulam suas palavras condenatórias de “APOLOGÉTICA COM HUMOR”, Como que se zombar da ferida alheia fosse algo aceitável, e como a natureza pecaminosa do homem nos atrai ao pecado, tais pessoas conseguem criar legiões de adeptos.
   Quanto maior o escândalo, quanto mais se ridiculariza o ser humano, maior é o destaque que recebem no meio cristão. É um tal de você viu? que absurdo o que ele/ela fez? Eu não creio nestas coisas? Se João Batista estivesse em nosso meio nos dias atuais, olharia os tais e diria:_ hô raça de víboras. Destiladores de veneno, enviados de beusebu para tornar o povo de Deus em fofoqueiros, agoureiros e maldizentes.
   Povo santo de Deus, convertemos nossos corações ao amor de Deus de forma sincera e singela. Com humildade de saber que não somos melhores do que ninguém, não usemos da palavra como espada para a morte, mais para vencer o pecado que jaz no coração do homem. Abra seu coração como dispenseiros do amor de cristo. Não mate, salve! Não condene, liberte! Não mal diga, mais ame! Seja receptivo ao pecador para que ele possa encontrar o caminho que leva a salvação e a libertação dos pecados. circuncidai o coração com o selo do amor.

TAG: QUANDO O CRISTÃO NOS CRUCIFICA

Deus te ama e tem um plano maravilhoso de vida e salvação para você!!!
Pastor Júlio Fonseca

Compartilhar é se importar!

3 comments

  • Anonymous

    Parabéns pastor pelo seu blog. Todos os dias dou uma passadinha aqui, para ler as matérias. Também já olhei alguns blogs e fiquei entristecida pela exposição dos defeitos e deslizes de líderes religiosos. Até parece que tais pessoas tem prazer em expor o lado crítico das igrejas. Precisamos aprender que, o que não edifica não merece destaque. Tanta coisa boa para se mostrar, se falar porque não mostrar Jesus para todos nós? A palavra de Deus se renova a cada manhã.

  • Caro irmão, paz e parabéns pelo teu blog. Concordo com as suas palavras, temos realmente muitos problemas internos, talvez isto seja um entrave contra o avanço da igreja assim como tem sido na igreja católica e nas outras…

    Te convido a conhecer o meu blog.

    Att.,
    http://wwwteologiavivaeeficaz.blogspot.com/

    Profº Francisco Netto

  • Excelente palavra. Pessoalmente, eu tenho a convicção de que “querer o pecado” é algo de que nenhum de nós pode SE livrar. Apenas Deus tem esse poder, mas cabe a nós pedir-Lhe sobre isso e lutar com nosso próprio coração, se a resposta Dele é não. Continuemos a orar então! Não nos cabe julgar ninguém, nenhum de nós é isento de pecado.

    Mas uma coisa é verdade: muitas vezes os culto são feitos para quem não tem pecado, esse ser imaginário mesmo. Ficam ali impunes os que fingem bem, esses camaradas bem reais. Talvez conviesse direcionar os cultos para quem mais precisa deles, ou seja, quem está pecando.

    Abração,
    Fabrizio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *