Você sabe quem é o devorador citado na bíblia?

Você sabe quem é o devorador citado na bíblia

Você sabe quem é o devorador citado na bíblia

Você sabe quem é o devorador citado na bíblia?

Se você é evangélico provavelmente já deve ter ouvido alguém falar a respeito do devorador. Muitas igrejas pregam a respeito desse ser. Algumas corretamente, outras, por falta de conhecimento bíblico, erroneamente, trazendo ao povo confusão e engano.

ONDE ESTÁ O DEVORADOR NA BÍBLIA?

O texto mais famoso citado para falar a respeito do devorador é Malaquias 3. 11, que diz:
“Por vossa causa, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos.”
Esse texto é a continuação de Malaquias 3.10, o tão famoso texto que fala a respeito de dízimos no Antigo Testamento. Um bom grupo de pessoas diz que o “devorador” mencionado nesse texto é um demônio que destrói as finanças daqueles que não dão os 10%, ou seja, que não são dizimistas. As pessoas que pregam nessa linha trazem ameaças de destruição financeira aos seus ouvintes se os mesmos não forem dizimistas fieis.
O DEVORADOR É MESMO UM DEMÔNIO?
A resposta é não! Os que afirmam que esse devorador citado no texto é um demônio, no mínimo, faltaram em algumas aulas de interpretação da Bíblia. A primeira coisa a sabermos é que no Antigo Testamento, a aliança que vigorava era uma aliança baseada na obediência. Se o povo fosse obediente às leis de Deus seriam abençoados. Essas bênçãos eram visivelmente mandadas em forma de paz e boas colheitas e prosperidade. Se fossem desobedientes, seriam amaldiçoados. Falta de paz e colheitas ruins estavam em vista aqui. (Deuteronômio 28). Em uma das ameaças de maldições em suas colheitas, que Deus manda ao povo através do profeta Joel, vemos que: “O que deixou o gafanhoto cortador, comeu-o o gafanhoto migrador; o que deixou o migrador, comeu-o o gafanhoto devorador; o que deixou o devorador, comeu-o o gafanhoto destruidor.” (Joel 1. 4). Uma maldição que tinha em vista a destruição da lavoura.
O texto de Malaquias 3. 11 diz a mesma coisa: “Por vossa causa, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos.”. Esse devorador certamente se tratava de um tipo de gafanhoto altamente destrutivo ou outro “bicho” que acabava com as plantações (que eram a base da economia do povo de Israel). A ação devastadora desse “ser” acabava com a prosperidade do povo em pouco tempo atacando suas lavouras.
Quando o povo era obediente a Deus e cumpria a Sua lei, que no caso desse texto é a lei de dizimar, Deus abençoava suas colheitas e negócios. Esse é o sentido desse texto. Assim, não faz sentido usar esse texto para afirmar que o devorador era um demônio ou coisa parecida. Nem faz sentido ameaçar as pessoas hoje em dia com esse devorador.

Fonte: Esbocando ideias

Compartilhar é se importar!

2 comments

  • Aline

    Querido, a maldição é lançada por quem se não pelo diabo que é um demônio. Se o devorador não é o demônio é enviado por ele. Faltou a sua interpretação.

  • REGINALDO GONÇALVES

    Na Bíblia não está escrito para não fumar, no entanto compreendemos que não podemos fumar pois somos templo do Espirito Santo, o dizimo era uma pratica generalizada entre o povo de Deus, mesmo que pouco se fale no novo testamento, na soberania de Deus Ele chama o devorador no livro de Joel de gafanhotos e literalmente são, também fala que é o seu exercito, e na sua soberania Deus pode usar, ou liberar o próprio demônio, para executar sua vontade, como usou em 2 crônicas 18 com o rei Acabe, dizer que o devorador é um demônio, é um erro de expressão, mas não sem fundamento, pois o mesmo usou eventos da natureza para destruir o patrimônio e os filhos de Jó, com a permissão de Deus, aliás o dízimo só fez parte da Lei mais de quatrocentos anos depois quando foi entregue a Lei a Moisés, mas já eram entregues por Abraão e por Jacó quando ainda não existia a Lei, no livro de Gálatas 3:7 diz: “Sabei, pois, que os que são da fé são filhos de Abraão”, João 8:39 diz:”Responderam e disseram-lhe: Nosso pai é Abraão, Jesus disse-lhes: Se fôsseis filhos de Abraão, faríeis as obras de Abraão”. Se analisarmos a Bíblia somente o que nos é conveniente, podemos encontrar vários argumentos, para não obedecer a Palavra de Deus, Aliás hoje tem pastores fazendo casamento de homossexuais, admitindo obreiros em fornicação no trabalho da igreja em nome do amor descrito na Bíblia, esquecem que Deus não poupou nem seus próprios anjos que pecaram, porque ele também é justiça, no Novo Testamento Jesus não destrói a Lei, como muitos acham Ele só explica que a Lei não tem valor para justificar o homem, nós somos justificados pela fé, eu não sou adventista mas gosto de descansar o sábado porque sei que Deus deixou o sábado para que tivéssemos saúde, aliás acho que o fim de semana tinha que começar na sexta-feira, quando Deus disse que escreveria a Lei em nossos corações, para que guardassemos os seus mandamentos em Ezequiel 11:19,20, Ele estava querendo dizer que os mandamentos continuariam a vigorar em nossos corações, e que deveriam ser cumpridos de forma voluntaria, não como no passado em que a Lei era requisito único para a salvação, quem se apega ao sábado na forma da Lei como requisito para salvação, deveria também circuncidar seus filhos, oferecer um animal em sacrifício pelo pecado, entregar o dízimo por obrigação, aliás muitos que guardam o sábado tem empregados não crentes que trabalham em suas casas, ficam doentes no sábado e usufruem de pessoas que trabalham nos hospitais, pessoas que muitas vezes são hostilizadas por essa doutrina, o próprio Jesus curou no sábado, será que isso não é hipocrisia quando me convém é válido? Eu entrego o meu dízimo, não por medo de condenação, mas pelo principio da obediência, que traz a benção, alguém pode dizer tá cheio de rico abençoado por ai e é ímpio leia Jó 21 e o Salmo 73 e você vai ver a diferença.
    Pra concluir se eu não conseguir viver com 90% do meu salário, os 10% que entrego de dízimo não pagam todos os meus compromissos, mas existe uma diferença que Paulo descreve em Romanos 11:16 “E, se as primícias são santas, a massa o é; se a raiz é santa, também os ramos são.”
    Muitos que defendem a não entrega dos dízimos são avarentos, usam o prédio, a energia, a água da igreja e sequer dão uma oferta e querem ser juízes, são sempre os que tem boas ideias nas igrejas, mas para os outros fazerem, tem muitas começativas e poucas acabativas estão sempre na janelinha, e querem ser o dono da verdade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *