Verdade por trás do CARNAVAL

                                                                                                                                                                   O Carnaval é uma festa, genuinamente, brasileira!


NÃO. O carnaval tal como nós o conhecemos ele surgiu na Europa na era vitoriana e foi se espalhando pelo mundo, se adaptando a cada cultura.

O Carnaval é uma festa popular!

Balela (mentira). O carnaval virou negócio para os ricos, que o digam os camarotes vip, as festas privadas e “abadas” caríssimos, chamados de passaporte para a alegria.

E quem não tem dinheiro pra comprar aquelas roupas coloridas, não têm o direito de ser feliz? 

Não tem não!

A maioria dos blocos vivem às custas do poder público. E nenhuma atração sobe ao trio elétrico, apenas por ser o carnaval uma festa democrática. Milhões de reais são pagos aos artistas para garantir o circo a uma população miserável que não tem sequer o pão na mesa.

Muitas coisas me revoltam no carnaval. E, uma dessas coisas, são os “Rits do momento”, como “a Melô da mulher maravilha” e similares que não ouso nem citar.

Eu fico indignado, quando vejo a quantidade de ambulâncias disponibilizadas num desfile de carnaval pra atender aos bêbados de plantão e valentões que se metem em brigas e quebra-quebra. 

Onde estão essas mesmas ambulâncias quando uma mãe precisa socorrer um filho doente? Quando um trabalhador está infartando? Quando um idoso do interior precisa se deslocar para a cidade afim de fazer um exame?

Me revolto em ver, que os policiais estão em peso nas festas para garantir a ordem durante o carnaval e, no dia a dia, falta segurança para o cidadão de bem garantir o simples direito de ir e vir.

“Mas o carnaval é uma festa maravilhosa!”

Dizem até, que faz girar a economia. Que os pequenos comerciantes conseguem vender suas latinhas e seu churrasquinho… Ora, se esses pais de família dependessem do carnaval pra vender e pra viver, passariam o resto do ano à míngua.


Carnaval só dá lucro pra dono de cervejaria, pra proprietário de trio elétrico e para uns poucos artistas baianos. No mais, é só prejuízo!


Alguém já parou pra calcular quanto o estado gasta pra socorrer vítimas de acidentes causados por foliões embriagados? Quantos milhões são pagos em indenizações por morte ou invalidez, decorrentes desses acidentes? Quanto o poder público gasta com procedimentos de coletagem que muitas jovens se submetem, depois de um carnaval que gerou uma gravidez indesejada?

Isso sem falar na quantidade de doenças sexualmente transmissíveis(DST’s) que são transmitidas durante a festa em que tudo é permitido…

Issa é a realidade do carnavel e as verdades por trás da sua fantasia…

Se há mais alguém, que compartilha da mesma opinião, levanta a mão aí!  \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/

Mas não é pra fugir com a Mullher Maravilha e muito menos com o Superman. rsrsr

Pauta Raquel Sheherazade 

Comentário e adaptação Galera Radica

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *