Primeira namorada Saiba como encarar numa boa!

Primeira namorada Saiba como encarar numa boa!

A sensação de ter uma pessoa ao lado em quem você pode confiar, com quem você pode aprender e dividir os contratempos e as alegrias da vida pode ser incrível; mas, para isso, você tem que abrir mão de várias outras coisas, inclusive, de sua liberdade. Talvez você tenha que abdicar do futebol de quinta-feira com os amigos, porque sua namorada quer, de qualquer jeito, assistir àquele filme piegas no cinema que logo vai sair de cartaz. Ligar para avisar que vai sair com os amigos, então, é primordial. Isso se você quiser evitar algumas discussões e crises de confiança, claro!
É muito mais difícil para os meninos encararem a experiência da primeira namorada do que as meninas. “Geralmente, eles pensam que namorar é ser otário, é perda de tempo e, por isso, têm medo de se amarrar a alguém”, conta Felipe Teixeira, 18 anos. Cássio Mendes, 21 anos, acredita que o fato de as meninas terem maior facilidade em se comprometer é cultural e depende da criação. “Homens são criados para serem garanhões, mulheres, quando crianças, ganham boneca de presente, que já dá a ideia de ter filhos e criar uma família”, observa
Quer namorar comigo?
Se você se sentir pressionado, do tipo “Namore comigo ou caia fora!” pare e pense se é isso mesmo que você quer. Começar um relacionamento sem muita vontade, só porque a menina deu um ultimato, não é legal para nenhum dos dois. Mas, na verdade, muitos meninos sentem medo da palavra “compromisso” e preferem deixar tudo como está. “Ele pode gostar muito da garota, só que fica com pé atrás de falar que namora, talvez até por causa do machismo. Você se sente muito mais homem falando ‘olha lá, estou pegando a tal fulana!’”, comenta Victor Martins, 20 anos.
Felipe confessa que não soube exatamente qual era a hora certa, mas fez simplesmente o que achou que deveria fazer. “Eu e minha namorada, Lorena, estávamos no meu quarto e era lua cheia. O céu estava muito bonito e, então, tomei coragem e foi no impulso, sem pensar muito”. Cássio admite que demorou a se comprometer porque não tinha maturidade suficiente. “Curti muito minha vida de solteiro e não achava ninguém que me atraísse tanto até encontrar Kamila. Ela me pegou principalmente pelo cérebro, por ter seu ponto de vista e sua opinião! Várias vezes já sentamos para discutir sobre política, situação da saúde, direitos e culinária!”, conta orgulhoso.

Hora de conhecer a família

Quando o relacionamento fica mais sério, nada mais natural do que conhecer a família da amada. Mas, como agir nessa situação? Ficar nervoso é comum, afinal, você quer deixar uma boa impressão. “Cíntia era minha primeira namorada e eu fiquei com receio do que poderia acontecer. Para piorar, um amigo tinha me falado que a mãe dela tinha cara de brava! Eu achei que eles não iam gostar de mim”, conta Raul Batista, 20 anos. Depois que o susto passou, ele descobriu que agiu certo e que não adianta criar personagens para agradar. “O importante é ser simplesmente quem você é”, aconselha.
E se os pais forem muito conservadores, o que você faz? Felipe teve exatamente esse problema e, como ama a namorada, teve que aceitar as condições de seu pai. “Tive que ir à casa dela e perguntar se nós poderíamos namorar. Foi difícil, tremi muito! Ele disse que eu não poderia beijar a Lorena perto dele e até comprou um banquinho azul de dois lugares para a gente sentar e namorar como antigamente. Sexo, então, só depois do casamento e minha namorada é totalmente favorável a essa condição”, revela.
É recomendável passar imagem de segurança e compromisso para que os pais dela se sintam confortáveis em deixar a filha com você.

Namorar não é dizer adeus aos amigos

Dar uma sumidinha depois de começar a namorar é normal, até porque você quer ficar perto da garota que você ama! A balada de sábado com os amigos pode se transformar numa sessão de cinema e talvez você nem sinta tanto a diferença, porque está aproveitando aquele momento o máximo possível. Mas saiba que isso não é motivo para deixar os amigos de lado para sempre.
Quando Cássio começou a namorar, quase ninguém conhecia sua namorada, mas aos poucos ela e os amigos se entrosaram. “Alguns ainda não gostam dela, mas é algo como ‘eu gosto, se vocês não aceitam, azar!’. Às vezes, é bom sair sozinho, porque o pessoal fica mais confortável, além de eu preservar a minha individualidade. Quando ela vai junto, eu me preocupo se ela está gostando ou não e, de certa forma, é uma preocupação gostosa, mas quando estou só com meus amigos, saio para falar besteira e rir. É diferente!”
Felipe conseguiu se enturmar muito bem, aliás, já conhecia algumas amigas dela do clube que frequenta, mas com Lorena não foi bem assim. “Ela gosta de uns três amigos meus, mas como ela é mais tímida e calada, eles a acham chata! É porque eles não a conhecem direito, mas não faço nada! Cada um tem sua opinião e eu respeito a deles”.
Divida o seu tempo! Sair com os amigos é muito saudável e ótimo para quebrar a rotina e evitar que o namoro se desgaste. Se ela não entender, deixe claro que não há problemas e que ela pode se sentir à vontade para sair com as amigas também. Confiança é fundamental para um relacionamento feliz e duradouro.

POR Larissa Drumond

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *