O QUE DEUS QUER DE MIM?

Deuteronômio 10:12-13
Você já ouviu ou já fez essa pergunta?
Não sei se sua experiência é igual a minha e a de tantos outros que eu conheço, que por não saber a resposta fica tateando, oferecendo a Deus o que Ele não pediu ou fazendo de uma forma que Ele não quer. Às vezes acho que Deus quer que eu seja um grande estudioso das escrituras, um verdadeiro teólogo. Outras vezes, tento agradá-lo cumprindo fielmente minhas responsabilidades eclesiásticas:
* Participo do todos os trabalhos da igreja
* Entrego fielmente o meu dízimo e minhas ofertas
* Envolvo-me em todas as atividades especiais da igreja
* Participo de vários ministérios ao mesmo tempo.
* Enfim, acho que posso agradar a Deus fazendo muita coisa para Ele.
Mas, no final a pergunta continua o que realmente Deus quer de mim? Parece que essa foi uma pergunta que o povo de Israel não sabia responder muito bem enquanto se encaminhava para possuir a terra que Deus havia prometido. Deus já havia lhes dado os dez mandamentos e uma série de cerimônias às quais deviam cumprir. Parece-me que era muito fácil eles se confundirem entre tantas normas, ritos, mandamentos e perderem o foco quanto a vontade de Deus. Então Moisés, depois de receber do Senhor as tábuas da lei pela segunda vez, diz o que realmente importa. O que deve estar na mente e no coração de cada um. Vamos ler Deuteronômio 10.12-13 e ouvir o que Deus disse ao seu povo sobre o que realmente ele quer.
1. Que O tema
Mas, o que é o temor? Muitos acham que temer o Senhor é ter medo dele. Acham que Ele é muito mal e se zanga quando cometemos algum erro e está pronto para nos punir nos mandando de ponta cabeça para o inferno, ao menor sinal de falha da nossa parte. Mas essa idéia é contrária ao objetivo de Deus ao ter criado o homem. Ele o fez para Sua glória, louvor e alegria. Deus o criou para se relacionar com Ele. Não faz nenhum sentido Deus querer que tenhamos medo dele. O temor, segundo Joy Dawson em seu livro “ Intimidade no temor do Senhor” tem dois aspectos:
* O primeiro tem a ver com o reconhecimento de que Deus é Deus. O Salmo 33.8,9 diz que Ele deve ser temido pela Sua soberania, poder, autoridade e etc. Deve haver confiança em sua palavra infalível. Quanto mais o conheço, mais o temo.
* O segundo aspecto tem a ver com a forma como Ele trata o pecado. Provérbios 8.13 diz que “ temer o Senhor é odiar o mal”. Ou seja, é olhar para o pecado com a mesma repugnância que Deus olha. É sentir o que Deus sente em relação a ele.
Temer ao Senhor significa conhecê-lo, reconhecê-lo e buscar ter os mesmos interesse que Ele tem.
2. Que ande nos seus caminhos
Noutras palavras, que sejamos santos
Isso está expresso em Levítico 19.2 que é citado por Pedro em 1 Pedro 1.14-16 “ Sede Santos porque eu sou santo”. Temos a oferta para andar em vários caminhos, mas basicamente todos eles se resumem em apenas dois: O que leva a vida e o que leva a perdição, Mateus 7.13,14(portas). Andar nos caminhos do senhor significa andar em santidade, escolhendo sempre o que tem a ver com as orientações dele. Romanos 12.2; Efésios 5.15 ss. Portanto andar tem a ver com praticar. É viver numa dinâmica divina. É dizer não ao pecado e sim a Deus. Creio que nosso grande problema não seja a falta de conhecimento intelectual do que Deus quer e sim a prática de sua vontade.
3. Que O ame
Eu tenho quase certeza que se perguntar a qualquer dos presentes quantos amam a Deus todos responderão afirmativamente. Mas, creio também que como eu a maioria tenha dificuldades para demonstrar-lhE esse amor. O texto nos esclarece que o amor a Deus leva a pessoa a servir-lhE de todo o coração e alma. Ou seja, o amor a Deus deve ser demonstrado através de servi-lO. É interessante notar que no texto, tanto o serviço como a obediência vêm depois do amor. Na verdade nosso serviço a Deus deve ser uma conseqüência do amor a Ele. O amor serve como motivação para o serviço. Eu tenha plena convicção em afirmar que todo aquele que ama a Deus O serve, mas nem todo que serve é porque O ama. Muitos o fazem por motivação errada: medo, barganha, obrigação, etc. Em 1 Co 13 Paulo diz que qualquer coisa que façamos deve ter como motivação primeira o amor, senão não tem nenhum valor. Assim como o serviço, a obediência também é uma conseqüência do amor. Jesus diz em João 14.21 que aquele que o ama obedece aos seus mandamentos. É interessante notar que o texto declara que os mandamentos e decretos são do Senhor. Portanto, a obediência tem a ver com o reconhecimento de que Ele é o Senhor. Mas, em que devemos obedecer a Deus? Aos Seus mandamentos, dirá alguém. E quais são os seus mandamentos? Alguém, certo dia, perguntou a Jesus qual era o maior de todos os mandamentos e Ele respondeu “amar a Deus acima de tudo e ao próximo como a si mesmo” Mc 12.29-32. Portanto, obedecer a Deus implica em amar a Deus mais que tudo e isso se expressa no amor ao próximo 1 João 3.16.
CONCLUSÃO
Podemos dizer que o que Deus quer de nós é que nos relacionamentos com Ele. Esse relacionamento está pautado em 3 atitudes:
* Temor
* Santidade
* Amor
Diz o texto que esse comportamento é para o nosso próprio bem.
TAG: O QUE DEUS QUER DE MIM?
Deus te ama e tem um plano maravilhoso de vida e salvação para você!!!
Pastor Júlio Fonseca

Compartilhar é se importar!

One comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *