O IMPACTO DA TRANSFORMAÇAO

O DEUS QUE TRANSFORMA O IMPACTO DA TRANSFORMAÇAO

Gênesis 28-36

Introdução

O que você gostaria que fosse dito a seu respeito em seu funeral? Você gostaria que eu falasse da sua vida antes de Cristo ou depois de Cristo? Que aspecto de transformações em sua vida você gostaria que fosse mencionado?

Estudando para esta série DESCOBERTAS, fase 2, quando estamos aprendendo a respeito de Deus observando a vida dos patriarcas, tenho sido impactado por uma realidade – os pés de barro que cada um tinha e como Deus os transformou a vida de cada um deles. Deus não os tornou perfeitos, mas transformou a vida deles.

Você já observou,

• Abraão mentiu e para salvar própria pela disse que Sara era sua irmã.
• Isaque fez a mesma coisa – para salvar a pele e não para proteger sua esposa, disse para a Abimeleque que Rebeca era sua irmã.
• Ló, o sobrinho de Abraão, teve sua casa cercada pelos homens de Sodoma que
queria ter relações sexuais com os amigos de Ló que o estavam visitando. Ló
ofereceu suas filhas, eles poderiam ter relações sexuais com suas filhas e assim
protegeria os visitantes. Ló foi chamado o homem mais integro da cidade de
Sodoma. Dá para imaginar um homem reto que prefere ver suas filhas violentadas e ter seus amigos machucados.
• Isaque teve dois filhos, Esaú e Jacó – Isaque tinha Esaú como seu filho favorito e Rebeca amou mais Jacó do que a Esaú. Isto gerou na família comportamentos difuncionais, ódio e impacto negativo nos netos.
• Jacó teve 12 filhos e deixou claro que Jose era o seu filho favorito o que gerou uma série de conflitos na família que inclusive fez com que os outros filhos vendessem José como escravo – já pensou. Seus filhos são santos comparados com os filhos de Jacó
• Um dos filhos de Jacó, Judá, teve três filhos e estes filhos se tornaram tão imorais que Deus os puniu tirando a vida deles mais cedo. Mais tarde, Judá teve relações sexuais com sua nora que havia se fantasiado de prostituta.
• José, como todo adolescente, teve seus problemas de idade, mas foi muito esnobe perante seus irmãos, contando um sonho no qual seus irmãos se torvam súditos deles. Por causa disto passou ser odiado por seus irmãos
Que tal? Vocês gostariam de ter estes homens com lideres de seus pequenos grupos? Pode celebrar! Suas família teem muito menos problemas que estes heróis do passado. Mas, meus queridos irmãos, o autor de Gênesis incluiu estes homens na narrativa bíblica por uma razão – Eles são falhos, eles têem pés de barro, MAS O HERÓI DA HISTÓRIA É DEUS. A Bíblia é um livro da vida real. Ela não esconde das mazelas dos homens, o que eles fazem de errado. A Bíblia é um livro de conta a vida como ela é. Mas a Bíblia revela Deus, quem Deus é. Deus é o Deus presente, que se relaciona com sua criação e onde cada um está Deus toca na dele para TRANSFORMAR ESTA VIDA.

Na mensagem de hoje, focaremos na história de Jacó. Já olhamos para a vida de Abrão e vimos o impacto da fé. Olhamos para a vida de Ismael, que não é um patriarca de Israel, mas foi tratado por Deus e aprendemos em sua história que ninguém nasce por acaso. Deus foi fiel a si mesmo, cuidando de Ismael e fazendo dele uma grande nação. Domingo passado olhamos para a vida de Isaque e certamente em nossa mente ficou gravado a história dele e a intervenção de Deus na vida dele, O DEUS DE ISAQUE que quer o seu Deus. Hoje, aprenderemos sobre Deus observando o trabalho dele na vida de Jacó. Jacó era um homem complicado, MAS DEUS O TRANSFORMOU.

Você já imaginou que na sua vida algumas coisas precisam ser transformadas? Talvez você nunca atinou para isto ou mesmo reconheceu explicitamente. Mas garanto que alguns que vivem ao seu lado já devem ter orado, Ó DEUS, TRANSFORMA MEU MARIDO, ou TRANSFORMA MEU PAI, ou TRANSFORMA MEU FILHO, ou quem sabe você já tenha orado, DEUS SÊ MISERICORDIOSO COMIGO, TRANSFORMA MINHA VIDA.

Mas, como Deus causa esta transformação?

I – DEUS VÊ NOSSA NECESSIDADE DE TRANSFORMAÇAO – (Gênesis 25-28)

A história de Jacó

Deus vê nossa necessidade de transformação. Ele viu esta necessidade em Jacó. Lembre que estamos lidando com aquele através de quem Deus está realizando o que ele prometeu a Abraão, uma aliança incondicional. Deus fez também uma aliança conosco, baseada no que Jesus fez por nós na cruz. Mas, da mesma forma que Jacó, precisamos de transformação em nossa vidas.

Vamos abrir nossas bíblias em Gênesis 28.10. Mas antes de ler o texto, precisamos entender a história de Jacó até este ponto. Rebeca era estéril, como era sua sogra Sara. As duas foram alvo da graça de Deus, o Deus que é presente e intervém em nossas vidas. Deus curou as duas, como mais tarde vai curar a esposa de Jacó, Raquel que também era estéril e deu a luz a dois filhos, José e Benjamim. Isaque orou por sua esposa Rebeca, ela concebeu e deu a luz a dois filhos, Esaú e Jacó, conforme escrito em Gênesis 25. Estes dois irmãos já brigavam desde o ventre e Deus já havia anunciado que os dois seriam os lideres de duas grandes nações, que um seria mais forte do que outro e que o mais velho serviria ao mais novo. Os dois nasceram, e como disse o Esaú, o primogênito tornou-se o preferido do pai Isaque e o mais novo o preferido da mãe. Ser o primogênito tinha altas vantagens. Era o herdeiro de maior parte da riqueza do pai e ao morrer o pai, este abençoava o filho mais velho expressando o que de melhor este filho poderia sonhar em ser e ter na vida. Na cultura oriental daquela época, receber a benção do pai era como receber uma profecia que seria cumprida na vida do filho. Nenhum primogênito cogitaria ter este privilégio retirado ou trocado ou mesmo vendido, embora que isto não fosse proibido.

Mas, Jacó era um enganador um suplantador conforme seu nome significa. Quando nasceram os gêmeos, Jacó segurou o calcanhar do irmão Esaú que nasceu primeiro. Recebeu o nome de Jacó que significa suplantar, ou mesmo enganar. No nome de Jacó existe no hebraico um jogo de prefixo e sufixos. O nome Jacó inclui um significado, “Deus protege”. Ao mesmo tempo, entendendo a cena do seu nascimento segurando o calcanhar do seu irmão, Jacó significa aquele que segura, um significado cultural que no dia-a- dia quer dizer, aquele que engana. Isto se tornou parte da historia e do caráter de Jacó.

Jacó era um homem caseiro, gostava de ficar em casa (Gênesis 25.27) enquanto que Esaú tornou-se um homem campo, um grande caçador. Jacó embora não foi um grande caçador no campo, tornou-se um grande caçador de oportunidades.
• Jacó era um aproveitador – (Gen 25.29-34) – Seu irmão voltou certo dia do campo muito cansado e encontrou Jacó preparando um sopa, uma sopa de legumes como Esaú gostava. Esaú queria comer daquela sopa e Jacó, astuto, aproveitou uma oportunidade. Ele daria a sopa se o Esaú lhe cedesse o direito de primogenitura. Esta venda de direitos não era algo proibido. O problema era que Jacó quis comprar por centavos algo que valia milhões e para isto acontecer ele aproveitou-se de um momento de fraqueza de seu irmão. Nesta história existe manipulação por parte de Jacó e desprezo por valores espirituais por parte de Esaú.
• Jacó era um enganador (Gen 27.18-23) – A sutileza e os esquema escuros de Jacó, o suplantador, não pararam ao comprar o direito de primogenitura. Ele precisava exercer ou receber os privilégios deste direito comprado. Assim, quando seu pai Isaque está para morrer, Jacó, ajudado pela mãe, arma o esquema final. Ele veste as roupas de seu irmão Esaú e leva para o pai a comida que o pai mais gostava de comer, um prato que era a especialidade de Esaú. Assim, mentindo, dizendo-se ser Esaú, ele engana o pai e recebe a benção que deveria ser dada a Esaú. Isto causa uma grande ameaça de guerra entre os irmãos, que somente mais tarde seria resolvida como fruto da transformação que Jacó passaria.
• Jacó formou um quadrilha (Gen. 27.1-17) – Jacó não agiu sozinho. Sua mãe Rebeca estava por trás. Certamente Rebeca vislumbrou o que seria melhor para seu filho, mas usou o caminho errado. Em vez de ir a Deus, agiu com seus próprios recursos. Foi parte da quadrilha de Jacó para enganar o pai.
• Jacó se torna um fugitivo (Gen.27.41-28.10) – A divisão na família havia sido estabelecida. O pai fora enganado pela esposa e pelo filho, o direito de primogenitura roubado, a culpa instalada. A culpa sempre é uma viagem de escape, o culpado sempre é um fugitivo. Assim, Jacó, mais uma vez influenciado pela mãe e para fugir da ira do irmão que queria matá-lo, foge de Berseba. A família que deveria ser um lugar seguro se torna um local de desastre e possível vingança. Por isso Jacó precisava fugir. Ele sai de Berseba (ver o mapa) e vai para Harã (na região que é a Síria hoje), onde vivia seu tio Labão. Rebeca o envia para lá para protegê-lo contra Esaú, mas sob o pretexto de encontrar uma esposa.
Aqui começa a intervenção de Deus no processo de transformação da vida de Jacó. Deus tinha planos para Jacó, planos que eram frutos da aliança com Abraão. Mas, Jacó não está pronto, precisa passar pelo processo de transformação. É muito importante notar aqui que Jacó nem estava ainda muito alerta sobre a intervenção de Deus na vida dele. Mas, mesmo quando não estamos percebendo, DEUS ESTÁ CONOSCO EM NOSSOS TEMPOS BONS EOU MAUS, EM NOSSOS TEMPOS DE DESOBEDIENCIA OU DESOBEDIENCIA. DEUS NÃO MUDA SUA ATITUDE PARA CONOSCO EM FUNÇAO DO QUE ESTAMOS FAZENDO. Nós podemos rejeitar Deus, mas Deus nunca desiste de nós.

Deus na vida de Jacó para promover transformação

• Deus marca a vida de Jacó – (Gen. 28.10-22) – Este evento marca o começo da transformação de Jacó. Acima disto marca a presença de Deus trazendo graça para a vida de Jacó e cumprindo as promessas feitas a Abraão. Lembra os traços de Jacó? Aproveitador, mentiroso e formador de quadrilha, o que revela um profunda auto-suficiência. Esta é a história de Jacó, mas o herói da história é Deus, o Deus que transforma. Jacó merecia ser trocado no plano de Deus. Mas Deus é fiel. O que Deus promete, Deus cumpre. E assim em vez de começar pela disciplina que Jacó merecia, Deus começa pela graça, revelando seu amor a Jacó. Jacó tem um sonho, uma escada que apoiada na terra ia até aos céus. Diferente de Babel que fora construída pelo homem visando alcançar Deus, esta escada mostra que é Deus quem busca o homem. O homem é tipificado em Jacó, mentiroso, enganador, auto-suficiente. Este homem não tem como buscar Deus, mas Deus vem em ao encontro dele. Deus começa marca a vida Jacó, revelando sua presença e reafirmando sua aliança. Jacó não merecia isto, ele estava fugindo e fugindo de sua culpa. Mas, Deus vai ao encontro dele.
• Deus renova a aliança feita com Abraão e Isaque (Deus é o Deus da aliança) – Deus impacta a vida de Jacó renovando a aliança de uma forma clara. Deus viu a necessidade de transformação de Jacó. Deus não muda seus planos e reafirma suas promessas feitas através de Abraão e Isaque e repassadas para Jacó. A promessa da possessão da terra, a multiplicação dos descendentes e o canal de bênçãos através dele são todos renovados e reafirmados ao seu pai e ao seu avô. Como pode ser isso dito a um mentiroso, aproveitador e auto-suficiente que até então não precisava de Deus ? Somente a graça de Deus explica.! Jacó reage. Era comum pensar que havia uma escada para o céu quando alguém morria e que aquela era a porta do céu. O temor de Jacó tinha a ver com o impacto da presença de Deus. Ele se acha na presença de Deus. Um conceito novo é introduzido que somente no NT é desenvolvido. Embora que no AT o lugar de adoração era no templo, a realidade da presença de Deus era experimentada em qualquer lugar. Deus não estava nas coisas (isto é panteísmo), mas Deus está em todos os lugares (isto é onipresença). O temor de Jacó também estava associado à sua culpa. E agora, como posso estar na presença de Deus tendo feito o que eu fiz? Jacó erige um altar a Deus. A gratidão por ter sido acolhido por Deus estava latente ali. ELE CONSTRUIU UM BETEL (casa de Deus). E em seguida Jacó faz um voto com Deus, algo comum no AT. Ele sabia que sua jornada não terminaria em Harã quando encontrasse sua esposa. Afinal de contas na aliança com Deus, possuir Canaã era parte da promessa. Voltar para o lar, sem ele saber como, era um sonho. Mas, como voltar se seu irmão queria matá-lo? Por isso, o voto. Este voto revela parte da maneira como Jacó entendia Deus ou mesmo a mitologia da época. Na época, se cria que o homem podia fazer contratos com os deuses. Os deuses podiam ser apaziguados se os adoradores oferecesse coisas ou vontades. Se os deuses cumprissem essas vontades, então os adoradores entregavam ou cumpriam suas partes. Era como se os deuses precisassem dos homens. Que diferença agora. Deus não precisa de Jacó, é Jacó quem precisa de Deus. É Jacó quem precisa de perdão. E Deus é que faz um promessa incondicional a Jacó. Eu te abençoarei. Isto não quer dizer que Deus não espera uma responsabilidade por parte do homem. Deus, sim, espera obediência da nossa parte. Mas, o ponto aqui é que nesta nova revelação teológica que Jacó está recebendo, Deus é o agente, não Jacó. É por isto que alguns estudiosos preferem entender que Jacó não estava literalmente barganhando com Deus, mas dizendo que, DESDE QUE DEUS TEM SIDO COMIGO ASSIM, eu serei assim com ele, EU O TOMAREI COMO MEU DEUS. (ver E.G. Stigers, Gênesis, p228; Leupold, H.C. Gênesis, p. 780 – Grand Rapids: Baker Book House, 1942). Jacó ganhara uma revelaçao de Deus, começa a ter uma percepção que Deus está cuidando dele e por isso CRIA UM MEMORIAL – Ali Deus está. Não somente isto, DEUS ESTAVA COM ELE e ele não sabia. Isto nos introduz algo muito significativo na teologia do livro de Gênesis – a presença de Deus com os seus.
• Deus Promete presença com Jacó, como fez com Isaque e José. (Gen. 28.15;31.3, cf Gen.26.3,23;39.2) – Um dos itens de maior relevância nesta revelação de Deus a Jacó é que Deus faz um promessa de presença. Estou com você. Deus falou isto com Isaque (Gen 26.3,23) e com José (39.2). A presença de Deus não se restringe aos dias bons apenas. Mesmo nos dias maus, mesmo quando achamos que Ele está dormindo, Deus não nos abandona e mantém seu ouvido aberto ao nosso clamor.Uma realidade nova para Jacó, em contraste com sua cosmovisão, foi ouvir de Deus, “Eu estou com você”. Deuses não faziam isto. Deuses criaram o homem como fruto de briga (conceito da época). Como poderia o Deus criador de todas as coisas, o Deus que abria o caminho para o céu, ESTAR COM UM MORTAL?
Ao longo dos anos, muitos teólogos procuram definir certos aspectos da pessoa de Deus usando termos ou criando termos cheio de mensagens. Quero acentuar dois termos que teem a ver com experiência de Jacó que deve ser nossa experiência com Deus. Quando confundimos estes termos entramos numa zona de turbulência. Veja na tela.

Alguns teólogos costumam definir Deus como sendo um Deus TRANSCENDENTE.
Isto significa que Deus é criador, iniciador de tudo e que Deus transcende a tudo e não está cercado por nenhum limite. Tudo que ele é faz vai alem de qualquer coisa. Isto é verdade, nada limita Deus e Deus transcende tudo. Mas, um foco restrito a este aspecto de Deus leva ao que os teólogos dizem e muitos crêem nisto hoje, o DEISMO. O deismo é uma crença que Deus transcende a tudo e por isto ele é distante e não se envolve com a criação nem com as criaturas. Em outras palavras, Deus criou o universo e homem, mas afastou-se deles. Deus criou o universo e o homem e os abandonou à sua própria sorte. Esta é a razão porque temos tantas catástrofes, enchentes, tsunamis, desastres aéreos ,etc. Deus não se envolve. Deus está alheio. Isto implique orações sem respostas, vida sem relacionamento pessoal com Deus. Deus está distante. Não adiante pedir por proteção porque Deus não se envolve conosco. ISTO É O DEISMO.

Existe um outro conceito teológico em contraste com este mencionado. DEUS É IMANENTE. – Este conceito comunica a verdade que Deus está presente. Deus está não somente presente, mas Deus está ativamente envolvido com aquilo que Ele criou e suas criaturas. Isto quer dizer que nós somos importantes para Deus. Ele se envolve conosco, ele está presente em nossas vidas. É isto que Deus nos diz no Salmo 139, “se subo aos céus, lá estás. Se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás também”- Não temos como fugir de Deus, Deus está conosco em todos os lugares. Isto é diferente do ensino da onipresença de Deus que diz que Deus está em todos os lugares. A diferença do conceito de onipresença para imanência, é que no primeiro Deus está em todos os lugares, no segundo, Deus está não somente presente, mas ativamente envolvido com as pessoas.
Foi esta a promessa que Deus fez a Isaque, Jacó e José. É esta a promessa que Jesus nos fez quando disse que estaria conosco até a consumação dos tempos, quando ele voltará e nos levará para estarmos fisicamente para sempre com ele. Jacó ainda passaria maus bocados. Mas, Deus estava com ele, mesmo quando ele não percebia. José foi vendido como escravo foi preso por ser fiel e depois foi levado ao topo do império egípcio. Deus estava com Jose no buraco onde ele foi colocado, na prisão onde permaneceu por pelo menos dois anos bem como na corte de Faraó. O fato de eu não sentir que Deus está comigo não muda a realidade que ele está e está ouvindo minhas orações e vendo o que faço de certo ou errado. Deus está conosco nos dias chamados dias ruins e nos dias maus, como cantamos antes desta mensagem.

Agora que Jacó havia entendido esta verdade que incluía a presença de Deus com ele, ele estava pronto para prosseguir a jornada até Harã. Agora não era mais por causa da culpa. Agora a viagem tinha a ver com o processo de transformação que Deus estava gerando na vida da Jacó a fim de fazê-lo um homem realmente digno do chamado que teve. Tudo começou em Betel e vai novamente voltar para Betel.
Deus não somente vê que precisamos de transformação, mas por ser um Deus imanente, Deus se envolve conosco neste processo de transformação de vida.

Como Deus faz isto?

II – DEUS SE ENVOLVE NA TRANSFORMAÇAO DE NOSSAS VIDAS – Gênesis 31.10;32.22-31;35.1-14

Deus presente na transformação de Jacó

A viagem para Harã era uma viagem de transformação que passa pela disciplina de Deus. Jacó era enganador, aproveitador, mentiroso e auto suficiente. O que ele vai encontrar em Harã, na casa do seu tio Ló, a procura de uma esposa, lidará com estes problemas. Jacó, aparentemente, vai ser fazer tudo certinho, mas seu caráter precisava ser trabalhado. Deus poderia ter feito uma mudança repentina na vida de Jacó, mas cerca de 20 anos se passaram até Jacó ter sua vida restaurada.

O Deus presente cria uma escola de vida para Jacó em Harã.- Gen. 29.1-31.55)

É enganado (Gen.29.14-30) – Jacó chegou a Harã, tratou bem a seu tio Labão e apaixonou-se por Raquel. O texto diz que ela era muito bonita, assim como sua avó Sara era muito bonita, bem como sua mãe Rebeca. Labão exige que Jacó trabalhe 7 anos para poder receber Raquel. Ele o faz diligentemente e vai cobrar a divida. Era direito dele, agiu conforme as regras. Mas ao chegar para receber Raquel, ele foi enganado. Em vez de receber Raquel, Jacó recebe Lia. Mentiram para Jacó, mudaram as regras do jogo e ali está Lia, talvez sentindo-se rejeitada por seu marido. Vocês lembram quem foi enganado e quem foi o enganador? Isaque e Esaú. Quem foi o enganador, JACÓ. Quem agora sente na pele o que fez para os outros. JACÓ. Quem disse que estava com Jacó? Deus. Foi Deus quem enganou? Não! Mas, Deus está ali, junto com Jacó, vendo todo este processo.

É usado e passa por abusos (Gen.31.7) – Labão disse que não era costume entregar a filha mais nova antes de entregar a mais velha. Jacó trabalha mais 7 anos para ganhar Raquel. Neste processo ele acerta um trabalho com Labão. Ele enriquece de uma forma aparentemente não tão correta e acerta um salário com Labão. Labão, porém, faz e desfaz o acordo e não paga a Jacó o que lhe é devido. Jacó desencanta-se e desiste de trabalhar com Labão. O que aconteceu? Jacó foi roubado e sofreu abusos. Lembra quem robou algo do seu irmão? Agora Jacó sente na pele o que ele fez com seu irmão. Foi Jacó quem causou tudo isto. Ele fez escolhas erradas. Mas, Deus prometera, eu estarei com voce? O Deus imanente estava ali. O bem estar ou mal estar que a vida trás não quer dizer ausência de Deus.

É perseguido ( Gen. 31.22) Jacó havia fugido de Berseba para ir para Harã. Estava sendo perseguido por Esaú. A história se repete. Agora, perseguido por Labão. Onde estava Deus? Jacó talvez não estivesse percebendo, mas o Deus imanente usou as sutilezas de Labão para trazer Jacó de volta para Canaã.

Deus chama Jacó de volta para Canaã (graça) – Gen.31.3

O processo de restauração de Jacó estava progredindo. E mesmo que Jacó não estivesse percebendo tão claramente a mão de Deus em todo aquele trabalho de restauração que incluiu ele ser enganado, roubado, abusado e perseguido. Deus estava ali. 20 anos de deserto davam sinais agora que dias melhores viriam. Deus volta a falar com Jacó e diz, VOLTE PARA CANAÃ. Voltar para Canaã passaria por enfrentar Esaú. Mas, O Deus imanente, o Deus que se envolve, diz mais uma vez, “EU ESTAREI COM VOCE…” (Gen 31.3). Mais tarde, quando Jacó inicia sua viagem, Deus envia um grupo de anjos para proteger Jacó e sua comitiva e no lugar de encontro ele denomina aquele lugar MAANAIM. Esta palavra em Hebraico significa 2 circulos, certamente uma ilustração do circulo da família de Jacó e o circulo protetor formado por anjos

Jacó prepara-se para reconciliar-se com Esaú – “Ver sua face é como ver a face de Deus” – Gen.32.1-21 – Jacó sabia que encontraria seu irmão. Duas palavra podem descrever Jacó nesta preparação para este encontro depois de 20 anos que nunca mais se viram. As palavras são temor e diplomacia. No lado diplomático ele prepara presentes para dar para seu irmão, que relutantemente os aceita. Também, Jacó planejou uma estratégia para o caso de ser atacado. Dividiu um grupo em dois, caso um fosse atacado o outro poderia fugir. O autor de Gênesis diz que Jacó teve medo (33.7). Mas, ali estava um homem sendo transformado. Sempre lidaremos com situações que nos causam medo. Assim, pela primeira vez, desde que havia encontrado com Deus em Betel, Jacó ora. Em Gen 33.9 ele chama Deus de Deus, evocando certamente as promessas feitas a seus pais que se estendem a ele.Ele também ora teologicamente certo, pois ora levando em conta a fidelidade de Deus. Da mesma forma ele ora lembrando que Deus havia prometido estar com ele. E assim, depois de falar sobre o caráter de Deus, ele pede socorro- “Livra-me das mãos meus irmãos.”-Mais um sinal de progresso de transformação. O todo poderoso, enganador e mentiroso e auto-suficiente reconhece, SE NÃO FOR DEUS ESTOU PERDIDO. Se Deus fosse apenas transcendente, porque valeria a pena orar? Não, Deus é imanente, envolvido, ativamente envolvido e por isso podemos orar.

Jacó luta com Deus – o momento de transição – Jacó havia levado sua família para além do riacho de Jaboque. Depois resolveu ficar sozinho. Anos de lutas de mudanças geram cansaço. Chegara a hora do ritual de passagem. O velho Jacó, agora com mais de 60 anos, haveria de ganhar uma nova identidade. Suplantador, mentiroso e enganador eram sobrenomes do passado. Deus queria marcar Jacó com um novo nome. Naquela noite, solitário, talvez cheio de medo e recordações do passado, Jacó parecia pronto para um ritual. Será que Deus o protegeria mesmo? E se seu irmão resolvesse vigar-se? . Era um momento solitário. Mas Deus entra em cena. Um homem (talvez o próprio Deus, talvez Jesus Cristo mesmo, talvez um anjo) passou a lutar com Jacó. Lutou a noite inteira. Corajoso e heróico, aquele homem já não era o homem caseiro do começo de sua vida. Ele havia mudado por dentro e por fora. Depois de resistir a noite inteira, finalmente foi vencido. Teve sua articulação tocada. Jacó ficou manco. Era a marca de Deus na vida dele. Melhor manco e andando com Deus do que esbelto e elegante, mas vazio por dentro. Ele luta e pede para ser abençoado. Foi importante a benção do Pai Isaque, mas aquela benção havia sido manipulada. Ele queria agora a BENÇAO REAL. Por isso ele luta a noite inteira. Agora ele ganha uma benção, a bencao de um novo nome. Nova vida fora dada e para esta nova vida o nome dele não é mais Jacó. Ele agora não é mais o suplantador ou enganador. Não, agora ele é ISRAEL – Príncipe com Deus. O significado de Israel é, DEUS LUTA. Deus lutou contra a cabeça dura e auto suficiência e orgulho de Jacó. Quando Deus tocou a coxa de Jacó e ele tornou-se manco, a auto-suficiência de Jacó foi para o chão. Suas armas carnais e humanas para conseguir o que queria (o direito de primogenitura e a benção paterna) foram trocadas pela graça e poder divino. Mas, também ao chamar Jacó de Israel, Deus estava dizendo, EU VOU LUTAR POR ISRAEL, MEU POVO. Este foi o ponto de passagem na vida de Jacó. Lá em Betel ele viu e ouviu que Deus estaria protegendo-o. AGORA, em Peniel, ele experimentou Deus dentro dele mesmo. Deus estava ao lado dele e com ele. Por isso ele chamou aquele lugar, PENIEL – Face de Deus. Não é que Jacó viu a face de Deus, mas ser tocado pelo próprio Deus era com se houvesse visto Deus face a face. AGORA ELE ESTAVA CAPACITADO. Capacitado para lidar com seu irmão e voltar para Canaã.

Jacó reconcilia-se com seu irmão (Gênesis 33.1-13) – Jacó havia tido medo e havia planejado um encontro com seu irmão. Jacó pediu, livra-me. Deus respondeu tocando na vida dele e dando para ele uma marca. Agora um grande teste depois da transformação. Deus preparou o coração de Esaú. Ao encontrar com seu irmão, Jacó oferece presentes. Agora não é mais um ladrão e enganador, agora ele é um doador. Quando Esaú vê tantos presentes sendo oferecido, Esaú pergunta, “para que tudo isto? Jacó responde, “para ser bem recebido por ti meu senhor” Ele agora não é mais o suplantador, mais o que tem a marca de Deus. Ele já havia se intitulado “servo de Esaú”. Agora o chama de Senhor. Sinais de mudanças. Jacó oferece e insiste que Esaú aceite os presentes. Era o processo de reconciliação em andamento e Jacó diz algo muito significativo neste momento – “…porque vê tua face é como contemplar a face de Deus” . É outra marca da mudança. Dar e receber perdão é sinal de transformação de vida. Quando perdoamos, estamos comunicando o traço da graça de Deus para as pessoas. Esta frase é rica e marcante porque evoca a ação de Deus. Sim, Deus comunica seus traços para as pessoas através das marcas dele em nossas vidas. Quando perdoamos, as pessoas podem ver a face de Deus em nossas vidas. “É como contemplar a face de Deus”significa que Jacó estava entrando em contato com o que Deus é por dentro, seu espírito perdoador, seu desejo e envolvimento para transformar pessoas. Sim, Jacó estava percebendo como Deus o havia tratado e esta mensagem veio através daquele que ele havia enganado, roubado e mal tratado. Mas, quando uma vida é posta nas mãos de Deus transformação vem e sinais do trabalho de Deus aparecem. Jacó era outra pessoa. Ele entendera quão pecador ele era e quão gracioso Deus foi transformando a vida dele. O Deus imanente envolvera-se com ele para lhe dar uma nova vida.

A transformação de Jacó – de charlatão para adorador – Jacó adora em Betel. (Gen. 35.1-14) – Depois de atravessar o vale do Jaboque, agora com outro nome e outra identidade, Jacó deu e recebeu perdão e estava voltando para casa. Ele havia saído de Berseba, em Canaã. Para lá deveria ter ido. Mas, estabelece-se em Siquem onde Abraão havia chagado quando de sua viagem de Harã para Canaã. Havia ainda algumas coisas que Deus queria lidar dentro de Jacó. Lembra quando ele teve aquela visão da escada fincada no chão e que ia até ao céu? Ele prometera que Deus seria o Deus ele, pois Deus disse que estaria com ele e que o traria para a terra de seus pais. Ela havia prometido que faria dali um lugar de adoração – por isso chamou aquele lugar de BETEL (casa de Deus). Deus cumpriu a parte dele. Deus então, de uma forma suave, manda Jacó ir para Betel, cerca de 15 kms oeste de Siquem. Deus manda Jacó construir um local de adoração e relembra que ali fora o local onde os dois se encontraram quando Jacó estava fugindo de seu irmão.

Neste contexto duas coisas são visíveis – Um ponto é terminar o que fora acertado. Jacó precisava cumprir o que havia prometido, construir um local de adoração. Mas, uma outra coisa precisava ser feita. 20 anos atrás Jacó estava sozinho. Ele, 20 anos atrás, entendera. Deus é poderoso e santo. Agora, ele tinha uma família, dezenas de escravos e carregava a cultura pagã da época. O que Deus pediu – santificação. Assim, instruído por Deus, Jacó, ou Israel, fala para seu povo – Deixem seus ídolos. Inclusive suas roupas precisam refletir em quem vocês crêem agora. Eles deixaram tudo, enterraram o que era símbolo do passado (33.4) Deus é gracioso, nos alcança e nos ama como somos e estamos. Mas, aquilo que em nossa vida lembra nosso compromisso com nosso passado ou valores errados, DEUS PEDE QUE DEIXEMOS, OU ENTERREMOS, COMO FEZ JACÓ – O culto verdadeiro a Deus inclui despojar-se do passado, deixar as coisas que nos davam uma identidade falsa e assumirmos nossa nova identidade. PERTECEMOS AO DEUS QUE É IMANENTE, QUE SE ENVOLVE CONOSCO, QUE NOS PERDOA E QUE NOS RESTAURA.

Jacó, agora Israel, antes um mentiroso, suplantador e auto-suficiente, agora é um ADORADOR. – Ele vai para Betel, adorar o Deus QUE ESTEVE COM ELE E O O OUVIU NO DIA DA ANGUSTIA DELE E QUE TEM ESTADO COM ELE POR ONDE ELE TEM ANDADO. Não é interessante ele falar isto? Isto quer dizer que lá em Harã, quando ele estava sendo enganado e tripudiado por Labão, Jacó reconheceu que mesmo ali Deus estava com ele, mesmo quando ele estava perdendo, sendo perseguido e ludibriado. Jacó sabia que Deus estava com ele. Assim, Betel se torna um local onde gratidão é oferecida como culto e compromisso renovado. JACÓ FOI UM FUGITIVO, ENGANADOR, MENTIROSO, AUTO SUFICIENTE, MAS AGORA ELE É UM ADORADOR COMPROMETIDO COM DEUS. Deus transformou um charlatão em um adorador, alguém no qual Deus tem prazer. Deus renova a aliança com Jacó e acrescenta um detalhe nesta renovação da aliança – Da descendência de Jacó sairiam reis. De Jacó transformado viria o rei Davi, viria o rei Salomão, viria o Messias, nosso salvador e rei.



APLICAÇÃO FINAL

Quero terminar fazendo três aplicações.

Creio que você deveria ter um pergunta em sua mente, SERÁ QUE O DEUS QUE TRANSFORMOU JACO PODE ME TRANSFORMAR? Ou talvez você precise perguntar, VIVO CRENDO EM UM DEUS TRANSCENDENTE OU IMANENTE?

Três perguntas para você refletir…

Você precisa de uma experiência em Betel? No fim da história de Jacó, Betel, a casa de Deus, tornou-se um memorial de gratidão e renovação de compromisso. Ao ir para Betel, Jacó disse em outras palavras, SIM, DEUS É O RESPONSAVEL POR TUDO, E A ELE ME ENTREGO. Sua vida pode estar indo bem e talvez você tem se esquecido, É DEUS QUEM TEM ME ABENÇOADO. Se este é o seu caso, OFEREÇA A DEUS ADORAÇAO – Renove seu compromisso e expresse sua gratidão a Deus.

Você precisa de um a experiência em PENIEL? Em Peniel Jacó lutou com Deus. Ali ele finalmente fez o ritual de passagem. Você tem alguma luta interior, um pecado com o qual você luta há tempos e este pecado está lhe matando? Rogue a Deus, “me abençoe. Não posso ir embora hoje deste culto sem o Senhor me tocar”. O seu papel é dizer, Aqui está meu pecado, aqui está minha luta, estou pronto até ficar manco, mas não me deixe ir embora sem que o processo de mudança comece. Se este é o seu caso, confesse este pecado, admita e peça a Deus – Senhor, não me deixe ir embora sem que na minha vida o Senhor comece a lidar com este problema. Estou cansado e lutar com minhas forças, faze-me manco, mas quero ter as forças do Senhor. Quero ver o Senhor, da-me este momento Peniel.

Com qual tipo de Deus você ser relaciona? Um Deus transcendente ou um Deus imanente. Muitos de nós vivemos a vida como bons deistas. Dizemos que cremos em Jesus, mas na hora dos negócios nem lembramos de agir ou perguntar como Deus agiria ou Deus gostaria que agíssemos. Em nossas lutas lutamos com as armas humanas, pois nem lembramos que Deus quer nos dar as armas dele. No casamento, vivemos como se Deus não nos desse as normas para vivermos com respeito e amor. No namoro, parece que Deus esta vendo de longe apenas. Sabe o que é isto, AUTO SUFICIENCIA DEISTICA. Deus é um Deus presente e sabe e conhece suas lutas. Corra para ele, seja para o que for. O Deus de Jacó é o seu Deus, o Deus imanente e presente. Traga para ele agora suas lutas e medos. Por que Jacó orou quando teve medo de Esaú? Ele não pensou, “…isto é tão mundano para um Deus transcendente intervir”. Não, Jacó orou e Deus o atendeu. É isto que a Palavra nos diz em Filipenses 4.6,7 – Quando estiver ansioso, ore….

“Deus, queremos conhecer este Deus imanente mais e mais. Queremos vivenciar o Senhor em Betel e Peniel. Em nome de Jesus, amém.”

Pr. Lisânias Moura

TAG: O IMPACTO DA TRANSFORMAÇAO 

Deus te ama e tem um plano maravilhoso de vida e salvação para você!!!
Pastor Júlio Fonseca

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *