O homem pode se tornar um ‘deus’?

O que Jesus queria dizer ao afirmar: ‘sois deuses?’“Respondeu-lhes Jesus: Não está escrito na vossa lei: Eu disse: Sois deuses?”
João 10:34

Com certeza, se você já leu esta passagem de ‘João 10:34’ também já deve ter feito essa pergunta ou, no mínimo, procurou respostas para entender este texto. Talvez a sua dúvida também foi como a minha, quando li o texto pela primeira vez. Jesus respondeu a um grupo de judeus e disse: “Não está escrito na vossa lei: ‘Eu disse: sois deuses?’

O homem pode se tornar um ‘deus’?

Isso quer dizer então que os seres humanos podem tornar-se Deus, tal como as religiões panteístas e da Nova Era ensinam?

O contexto dessa passagem revela que Cristo tinha acabado de se declarar um com o Pai, dizendo: “Eu e o Pai somos um” (10:30). Os judeus quiseram apedrejá-lo porque pensaram que Jesus estava blasfemando, já que ele estava se fazendo igual a Deus (vv. 31-33).

Jesus respondeu citando o salmo 82:6, que diz: “Eu disse: sois deuses”. Esse salmo dirige-se a juízes que estão julgando injustamente. O título de “deuses” não é dirigido a qualquer um, mas somente àqueles juízes a respeito de quem Jesus disse que são aqueles para “quem foi dirigida a palavra de Deus” (v. 35). O Salmo citado por Jesus, é uma alusão às pessoas poderosas , provavelmente os reis da terra, vistos como concílio divino. Esses reis consideravam a si mesmos divinos, mas pereciam como mortais. Eram os líderes chamados de ‘deuses’ em virtude da sua divina comissão e da autoridade e ofício sagrado outorgados por Deus a eles.

Podemos notar que o Salmo 82 faz uso das palavras julgar, justiça, ‘apartar o pobre e o necessitado das mãos do ímpio’, coisas que são próprias dos juízes, que neste contexto eram injustos, como vemos no (v.2) onde se faz a pergunta: “Até quando julgareis injustamente…?”. Também afirma que os tais “…morrerão como homens, e cairão como qualquer dos príncipes” (Salmos 82:7). Se o texto se referisse a ‘deuses’ como alguns insistem em afirmar, não haveria a afirmação de que morreriam como homens. Sendo assim, o texto não se refere a ‘deuses’, mas a juízes, líderes do povo.
Há inclusive, uma citação de sábios antigos dessa passagem do Salmo 82 que afirma o seguinte:
a palavra Elohim (Deus) no Salmo 82 pode ser traduzida por Deus, deuses, juízes ou anjos. E o contexto do Salmo 82 sugere esta tradução:
Elohim (Deus) está na congregação dos poderosos (El: Deus); julga no
meio dos deuses (Elohim: juízes, anjos, deuses).
Até quando julgareis injustamente,
Eu disse: Vós sois deuses (Elohim: juízes, anjos, deuses)
E todos vós filhos do Altíssimo.
Todavia morrereis como homens, e caireis como qualquer dos príncipes.
Levanta-te, ó Deus (Elohim: O Juiz – o verdadeiro Juiz), julga a terra, pois tu possuis todas as nações.
O primeiro e o último “Elohim” significam “Deus”, mas os outros por causa do contexto são traduzidos e entendidos como juízes.
Cristo estava mostrando que se as Escrituras do A.T. podiam dar algum status divino a juízes que faziam obras más e eram injustos no julgar sendo divinamente designados para julgar, por que eles teriam de achar incrível que Jesus se chamasse de o Filho de Deus sendo Ele autor de boas obras? Assim, Jesus estava defendendo a sua própria divindade, e não a deificação do homem. Logo, ninguém pode se tornar um ‘deus’, isso seria contradizer as próprias Escrituras que afirmam: “Eu sou o SENHOR, e não há outro; fora de mim não há Deus…” (Is. 45:5a); “Eu sou o primeiro, e eu sou o último, e fora de mim não há Deus.” (Is. 44:6b); “Vede agora que eu, eu o sou, e mais nenhum deus há além de mim…” (Deut. 32:39a).
Grande abraço e Deus, o Único Verdadeiro te abençoe.
www.oucaapalavradosenhor.com
Bibliografia:

GEISLER, Norman; HOWE, Thomas. Manual Popular de Dúvidas, Enigmas e “Contradições” da Bíblia. 1ª Ed. São Paulo: Mundo Cristão, 1999.
KEENER, Craig S. Comentário Bíblico Atos. Novo Testamento: 1ª ed. Belo Horizonte: Editora Atos, 2004.

HENRY, Matthew. Comentário Bíblico do Antigo Testamento. 4ª Ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2004.
STERN, David H. Comentário Judaico do Novo Testamento: 2ª Ed. Belo Horizonte: Editora Atos, 2008.

DAVIDSON, F. O Novo Comentário da Bíblia. 3ª Ed. São Paulo: Ed. Vida Nova, 1990.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *