LEGALISMO O ASSASSINO DE IGREJAS

 LEGALISMO O ASSASSINO DE IGREJAS

O legalismo é um assassino de ministério. Ele destrói a alegria natural que vem do fato de servir aos outros através de um ministério de uma forma que nunca vi. Tenho visto mais ministérios arruinados pelo legalismo do que por qualquer outra coisa.

NÃO DEIXE O LEGALISMO MATAR O SEU MINISTÉRIO

O legalismo é um assassino de ministério. Ele destrói a alegria natural que vem do fato de servir aos outros através de um ministério de uma forma que nunca vi. Tenho visto mais ministérios arruinados pelo legalismo do que por qualquer outra coisa.

O que é o legalismo? Ele acontece quando substituímos nosso relacionamento com Cristo por regras e rituais. É uma armadilha sutil que tira o foco do que Deus tem feito, pondo-o sobre você, e devagar vai se tornando no que você tem feito por Deus.

Em Filipenses 3, Paulo nos diz que conheceu o legalismo. No processo, ele aponta cinco maneiras pelas quais foi um legalista. E essas maneiras continuam perseguindo muitos de nós hoje em dia.

Legalismo é colocar a sua confiança em rituais. Paulo diz: “Eu fui circuncidado oito dias depois de ter nascido de acordo com as leis judaicas” (Fp 3.5a). Hoje, um cristão pode dizer “eu fui batizado” ou “eu me juntei à igreja” ou “eu tomei a ceia”. Todas as coisas são boas, mas não conquistam a aprovação de Deus.

Legalismo é colocar a sua confiança em uma raça. Paulo diz: “Quanto ao povo de Israel, eu era da tribo de Benjamin” (Fp 3.5b). Eu tenho pedigree real. É como as pessoas hoje em dia se referem ao seu relacionamento com Deus porque o seu tio era um missionário ou porque a sua mãe é uma crente. Isso não faz sentido. Todos têm que tomar sua própria decisão sobre seguir a Jesus.

Legalismo é colocar a sua confiança na religião. Paulo diz: “Eu sou um verdadeiro hebreu” (Fp 3.5c). Alguns cristãos hoje em dia dizem a mesma coisa. Eles falam de suas denominações quando perguntados sobre o seu relacionamento com Deus. Quando chegar ao céu, Deus não vai perguntar de que denominação você é; Ele vai lhe perguntar sobre como recebeu ao seu Filho, Jesus.

Legalismo é colocar a sua confiança nas regras. Paulo também diz: “Em relação à lei, eu era um fariseu” (Fp 3.6a). Os fariseus eram a elite da espiritualidade. Eles transformaram os Dez Mandamentos em 613! Dez não eram suficientes. Eles não comiam um ovo posto durante o sábado porque tinha que haver “trabalho” para isso. Eles não coçavam uma mordida de mosquito durante o sábado porque achavam que isso era trabalhar. Ao chamar a atenção para o seu passado de fariseu, Paulo estava dizendo: “Você quer discutir as leis? Eu só as mantenho!”

Legalismo é colocar a confiança na sua reputação. Finalmente, Paulo acrescenta: “Quanto ao zelo e quanto à Lei, eu era irrepreensível” (Fp 3.6b). Em outras palavras, Paulo estava dizendo que era um astro do legalismo! Hoje podemos nos orgulhar de quantas pessoas freqüentam nossas igrejas, por quanto tempo oramos ou quantas pessoas levamos a Cristo na última semana. O resultado é o mesmo. Isso não vai fazer Deus mais feliz conosco.

Não tem nada de errado com essas coisas. O problema é quando achamos que essas coisas nos dão pontos com Deus, porque não dão. O amor dEle é incondicional. Se você começar a confiar nessas coisas, vai perder a sua alegria e o seu ministério vai desmoronar.

O antídoto ao legalismo é a graça. Graça significa que não conquistamos o amor de Deus, não temos que conquistar o sorriso dEle. Deus está sempre sorrindo para nós. Por que mereço? Não mereço. Porque mantive as leis e os regulamentos? Nada disso. É tudo porque sou coberto com o sangue de Jesus Cristo.

O problema para muitos de nós em nossos ministérios é que sutilmente mudamos a nossa perspectiva do que Deus tem feito por nós para aquilo que temos feito para Deus em nosso ministério. Isso é perigoso. Muito perigoso. Deus não vai amar você mais ou menos em função da forma com que você O serve.

O que você ganha com o serviço é alegria. Não aprovação. Deus lhe dá aprovação, mas não pelo que você faz. Ele o aprova pelo que Cristo já fez por você. Isso é graça.

A vida cristã não tem a ver com rituais e regras, mas com relacionamento. Religião é baseada em desempenho, mas cristianismo é baseado em uma pessoa: Jesus Cristo. Nunca se esqueça disso ou seu ministério está acabado. E ainda vai perder a sua alegria.

Pr. Rick Warren (Tradução de Rachel Vieira Belo de Azevedo)

Fonte: Revista Enfoque Gospel

Deus te ama e tem um plano maravilhoso de vida e salvação para você!!!
Pastor Júlio Fonseca

Compartilhar é se importar!

3 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *