JESUS MORREU DE VERDADE?

A morte de Jesus

Dúvidas: Pastor, há uma questão que me intriga.

Todo o cristianismo é uníssono em afirmar que Jesus morreu para salvar a humanidade. Não há controvérsia sobre isso.

Mas, na verdade, Ele não morreu!

Ele está vivo, e muito bem vivo no céu.

Portanto, Ele não nos deu Sua vida para salvar-nos, como todos apregoam.

Ele ofereceu-se em suplício. MAS NÃO DEU SUA VIDA, posto que sempre soube que ressucitaria e que retornaria ao céu.

Foi uma morte provisória, e não definitiva; ficou apenas um dia e meio morto.

O que o senhor acha disso?



Resposta:

(I Corintios 15:20) – Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, e foi feito as primícias dos que dormem.
Jesus morreu, sim. Sentindo todas as dores assim como qualquer homem. Tem um fato que você ainda não consegui entender é o tempo. Para os que continuaram vivos foi apenas 1 dia e 1/2 porém isso não invalida a dor e a morte. veja essa passagem.
(I Corintios 15:52) – Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.
Para as pessoas que morrem elas não verão o tempo passar é como num abrir e fechar de olhos,
Jesus sabia que haveria de ressuscitar, pois eu te digo vc também (se Deus assim o Julgar). O tempo de permanência na morte depende da referência. Para os aprovados o tempo simplesmente não existirá. Será num abrir e fechar de olhos, Para os que permanecem vivos os mortos só retornaram no dia do juízo final.
Lembre-se ele sabia que iria morrer por isso pediu ao pai que se pudesse passa-se dele o cálice (ou seja não o matasse), seu suor foi transformado em sangue.
O que a ciência já consegue comprovar como sendo um fato possível, que se realiza quando uma pessoa está sobre um stress horrível.

Por isso e por muitas outras coisas é que ele é admirável.
OBRIGADO, PASTOR JÚLIO.
FOI MUITO ESCLARECEDOR E CONFORTANTE.
Deus te ama e tem um plano maravilhoso de vida e salvação para você!!!
Pastor Júlio Fonseca

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *