Incidência de catástrofes no céu e na terra devem crescer nos próximos anos

terremoto

Incidência de catástrofes no céu e na terra devem crescer nos próximos anos

Terremotos e sinais no céu aumentarão no século 21 dizem especialistas

Incidência de catástrofes no céu e na terra devem
crescer nos próximos anos

De acordo com um estudo encomendado pelo governo dos EUA aos geólogos Thomas L. Holzer e James Savage, o cenário dos próximos anos não será nada animador. No material recém-publicado, os estudiosos fizeram uma retrospectiva dos terremotos que causaram mais de 50.000 mortes, considerados catastróficos, desde o ano 1500 d.C.

A constatação é que mais do que nunca pessoas morrerão no século 21 por causa de terremotos. Os motivos são o aumento previsto da população neste século e a tendência de crescimento no número e na intensidade de sismos.

Após correlacionar estatisticamente o número de terremotos catastróficos em cada século, os pesquisadores projetam cerca de 21 grandes tremores de terra até o fim do século XXI. Será 3 vezes mais que os ocorridos no século 20. O número de fatalidades neste século podem mais que dobrar, chegando a cerca de 3,5 milhões.

O diretor associado do Instituto de Análise de Riscos Naturais dos EUA, David Applegate diz que medidas preventivas podem ser tomadas, mas é impossível negar que as perdas serão enormes. Quatro terremotos catastróficos já ocorreram desde o início do século 21, incluindo o terremoto (e tsunami) de 2004 na Indonésia o terremoto no Haiti, em 2010. Estima-se que cada um matou mais de 200.000 pessoas.

Se os cientistas olham com desânimo para os eventos na terra, alguns teólogos acreditam que deverá crescer o número de “sinais no céu”. Em fevereiro um meteoro de 10.000 toneladas caiu sobre a Rússia, ferindo mais de mil pessoas. No mês passado um asteroide gigantesco passou perto demais da Terra. Outro incidente que recebeu ampla cobertura, por exemplo, foi um raio que atingiu a Basílica de São Pedro, poucas horas depois do papa Bento XVI anunciar sua renúncia.

Citando passagens bíblicas sobre sinais e maravilhas nos céus, teólogos têm falado sobre o cumprimento de profecias contidas nas Escrituras. O rabino Jonathan Cahn, autor do best seller “The Harbinger” e do DVD “O Julgamento de Isaías 09:10″ disse ao WND: “Nós sabemos que estamos nos últimos dias. Os sinais são evidentes – o retorno dos filhos de Israel para sua terra, os conflitos crescentes no Oriente Médio, o aumento do conhecimento do homem, a proliferação da imoralidade e uma apostasia que parece tomar conta de todo o mundo”.

Cahn é um judeu, pastor e rabino da igreja messiânica Beth Israel e presidente do ministério Esperança Mundial de Jerusalém. Para ele, o mundo está passando por um “momento crítico de transição”. “Enquanto observamos o declínio espiritual e físico de países antes majoritariamente cristãos… há inúmeras referências a sinais e maravilhas na céus em toda a Escritura”. Joel 2:30-31, Lucas 21:25-26, além do livro do Apocalipse são lembradas por ele.

Um dos líderes mais influentes da Igreja Ortodoxa Russa, maior grupo cristão da Rússia, o Bispo Metropolitano Feofan acredita que a queda do meteoro foi uma clara mensagem divina. “A Bíblia Sagrada diz que Deus nos envia sinais e avisos por meio de calamidades naturais… foi um lembrete para os moradores dos Urais e do resto do mundo que todos nós vivemos em um mundo frágil e imprevisível “, disse ele em um comunicado amplamente divulgado na Rússia mês passado.

O Associated Press diz que eventos que tiveram menos repercussão ocorreram poucos dias depois em Cuba e na Califórnia, com luzes brilhantes e “bolas de fogo” sendo vistas na atmosfera que não foram explicadas pelas autoridades. A NASA confirmou através de seu site que em fevereiro “algumas rochas espaciais grandes entraram na atmosfera da Terra”. O professor de física Peter Brown, especialista em meteoros da University de Western Ontario, disse que os meteoros não são novidades, mas estranha o fato de que nem os melhores telescópios terem conseguido prever que eles se chocariam contra a Terra.

O pastor batista Carl Gallups, é um autor de livros sobre profecias e apresenta um programa de rádio voltado ao ensino nas Escrituras. Ele diz que “não se pode negar que estamos vivendo em tempos bíblicos proféticos. Alguns dos sinais principais mostram o cumprimento de Daniel, capítulo 12, como aumento da tecnologia e das profecias de Ezequiel 38 e 39; com Israel sendo restaurado, mas sempre cercado por inimigos que ameaçam destruí-lo… podemos certamente dizer que estes podem perfeitamente ser prenúncios dos últimos dias, conforme as profecias”. Com informações WND, USGs, Prophecy News.

Fonte: Gospel Prime

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *