Filme produzido por igreja evangélica ganha 5 prêmios

Filme produzido por igreja evangélica ganha 5 prêmios

Not Today é uma produção que foge do clichê de filmes religiosos

A ideia para o filme começou durante uma viagem missionária à Índia em 2002, onde a igreja ajudou na construção de escolas para os dalit, indianos pertencentes à casta mais baixa no sistema do país. O pastor do Ministério de Artes da igreja, Brent Martz, conta que foi algo que mexeu com a igreja que já tem um século de história.Não é comum que os créditos no final de um filme indique quem foi o “coordenador de oração”. Mas Not Today [Hoje não], que estreou nos cinemas de 20 cidades norte-americanas no final de semana passado é uma produção incomum. Seu custo de US$ 1,6 milhão foi totalmente pago pela Friends Church em Yorba Linda, na Califórnia.

“Nossos corações foram totalmente mexidos pelo povo dalit”, explica Martz. A extrema pobreza e o tráfico a que muitos deles estão vulneráveis, incluindo as meninas que são vendidas para a prostituição acabou fazendo com que a igreja decidisse mostrar essa realidade para o mundo.

Ao invés de um curto filme contando as necessidades missionárias, como é típico das igrejas, eles decidiram levar uma equipe de cristãos, profissionais do cinema para divulgar esse alerta sobre o comércio de escravos, que rende cerca de 32 bilhões de dólares por ano no mundo.

O pastor Martz explica “A mídia é a linguagem da nossa cultura, por isso cremos que a melhor forma de comunicar a história de uma grande tragédia global como tráfico de seres humanos é um filme. Que melhor maneira de motivar as pessoas que não conhecem como funciona o tráfico de seres humanos, que contar uma boa história, que todos consigam entender e que os desafia a se envolverem?”.

O roteiro foge da opção tradicional de filmes religiosos, nem tudo se resolve imediatamente com a oração e Deus por vezes parece não se importar com o que acontece com os humanos. Não há “pregações” sobre Jesus ou o céu disfarçadas no enredo. Mas a mensagem final é, sem dúvida, de amor e de esperança.

O elenco inclui atores conhecidos em Hollywood como John Schneider, Cody Longo e Cassie Scerbo. Mas quem rouba a cena é a pequena Persis Karen, intérprete de Annika, uma menina de 7 anos de idade vendida como escrava sexual em Hyderabad, na Índia.

Aluna de uma das escolas mantidas pela igreja, a jovem atriz jamais havia visto um filme no cinema. Ela acabou ganhando o prêmio de melhor performance no Festival Charity Film, realizado em Mônaco, em 2012. Foram cinco prêmios entre 2012 e 2013.

Basicamente, o roteiro do longa fala de como Annika e seu pai vivem nas ruas de Hyderabad até conhecerem Cade Welles, um típico jovem americano que decide viajar com amigos para participar de festas na Índia. Seus pais, cristãos comprometidos, oram para que Deus fale com o filho nessa viagem. Welles acaba conhecendo a realidade da miséria e se aproxima do pai de Annika, que acaba vendendo a filha como escrava sexual, por não ter como sustenta-la.

Decidido a mudar o destino na menina, o jovem acaba voltando-se para Deus na tentativa de resgatar a menina enquanto vai adentrando o obscuro mundo da prostituição infantil e do tráfico humano em Mumbai.

“O que torna este filme tão especial é que há muita verdade nele”, disse o ator Cody Longo, que interpreta o pai de Cade. ”O fato de termos filmado em favelas reais e bordéis reais, nunca mostradas antes criou esta dura realidade.”

Foram 21 dias de filmagem in loco na Índia, já que a igreja não possuía recursos para construir favelas e bordeis cenográficos em algum estúdio em solo americano. O filme todo foi rodado entre agosto e setembro de 2010. Conseguiu ser exibido em pequenos festivais de cinema e ganhou vários prêmios, mas não conseguia alguma distribuidora que o levasse para os cinemas até o inicio deste ano. Agora tudo mudou e as expectativas são grandes.

“Em nossa igreja tínhamos pessoas orando desde o início deste projeto e até hoje ainda o fazem. Isso tem sido um fator decisivo para o sucesso do filme”, disse Martz. ”Nós acreditamos que Deus nos levou a fazer este filme, e ele é o responsável por cada pedacinho desta jornada, que foi coberta por esta equipe de oração”.

A igreja explica que os lucros do filme servirão para cobrir os US $ 20 milhões necessários para a construção de 200 escolas para as crianças Dalit, dentro do projeto missionário original. Com informações CNN.

Fonte: Gospel Prime

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *