Este versículo é uma profecia do nascimento virginal de Jesus Cristo?

http://www.oucaapalavradosenhor.com/

Este versículo é uma profecia do nascimento virginal de Jesus Cristo?

Este é um dos trechos mais grandiosos do livro de Isaías, em torno do qual, nestes últimos tempos, se tem desencadeado tempestades de controvérsia e polêmica. O problema aqui é se esta passagem se constitui uma referência específica e enfática à vinda do Messias e à maneira como se verificará o seu nascimento, ou se temos aqui apenas uma referência estritamente limitada ao fato da presença do Deus Todo-Poderoso nos revelar um “menino” que não vá além de um simples personagem humano e filho de Isaías.
Ao considerarmos esse assunto, é necessário que façamos menção de que é muito frequente as profecias do A.T. terem um sentido duplo, apontando para uma realização imediata e outra mais tardia.

A profecia de Isaías 7:14 refere-se à concepção de uma virgem e ao nascimento de um filho cujo nome seria Emanuel. Entretanto, o versículo 16 parece colocar o nascimento de tal criança antes da invasão dos exércitos da Assíria e da queda de Samaria, que ocorreu em 722 a.C., e Isaías 8 parece ser o cumprimento dessa profecia. Como então pode ser essa uma profecia sobre o nascimento virginal de Jesus?

Esta profecia com certeza teve um duplo cumprimento. Devido ao estado desesperador em que se encontrava o povo de Israel, Deus prometeu dar-lhe um sinal de que ele libertaria por fim o seu povo da escravidão. O que podemos ver nos versículos 15-16 é que de fato haveria um livramento em um futuro breve e o nascimento daquela criança com o nome sagrado de Emanuel (Deus Conosco) é um penhor da certeza da libertação. Mas para um futuro distante, há a promessa firme, a realizar mais tarde, da salvação por Jeová do seu povo de Israel. Apenas com a vinda do filho de Deus e a realidade da encarnação é que se abriu o caminho para a realização deste livramento ulterior e mais absoluto.

Muitos eruditos acreditam que esse sinal veio sob duas formas:
Primeiro, como um sinal da libertação física de Israel da escravidão a que estariam se submetendo com a invasão dos assírios.
Segundo, como um sinal da libertação espiritual da escravidão a Satanás. O primeiro aspecto desse sinal foi cumprido com o nascimento de Rápido-Despojo-Presa-Segura (Maher-Shalal-Hash-Baz), como registrado em Isaías 8:3. O segundo aspecto desse sinal foi cumprido com o nascimento de Jesus Cristo em Belém, como registrado no Evangelho. Por isso, podemos dizer que permanece o fato de que a redenção de Israel e de toda a humanidade é realizada por alguém com o nome de Emanuel, e acerca do qual lemos, através do ensino explícito desse mesmo personagem, que os profetas descreveram e falaram (Luc. 24:27).A palavra que corresponde a “virgem” (almah) refere-se a uma jovem que nunca manteve relação sexual com um homem. A esposa de Isaías que teve a criança em cumprimento do primeiro aspecto da profecia era virgem até ter concebido de Isaías. Entretanto, de acordo com Mateus 1:23-25, Maria, mãe de Jesus, era virgem mesmo quando concebeu e deu a luz Jesus. A concepção física e o nascimento do filho de Isaías foi um sinal a Israel de que Deus os libertaria da escravidão física em relação aos assírios. Mas a concepção sobrenatural e o nascimento do Filho de Deus foi um sinal a todo o povo de Deus de que o Senhor os libertaria da escravidão espiritual do pecado e da morte.
Bibliografia:

GEISLER, Norman; HOWE, Thomas. Manual Popular de Dúvidas, Enigmas e “Contradições” da Bíblia. 1ª Ed. São Paulo: Mundo Cristão, 1999.

DAVIDSON, F. O Novo Comentário da
Bíblia
. 3ª Ed. São Paulo: Ed. Vida Nova, 1990.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *