Contos e lendas do Evangelicalismo 03 – O jovem e o carro

Quem nunca ouviu no púlpito o
pregador contar uma história que não se encontra na bíblia, uma ilustração em
meio ao sermão, na tentativa de arrancar lágrimas, (entre os pentecostais um
“glória a Deus”, “Aleluia”) ou um sorriso no rosto dos seus ouvintes.
Pois bem, muitas destas ilustrações
não passam de contos ou lendas que são retiradas da mente de cristãos
criativos!
O problema maior reside no fato
de que muitos que estão no púlpito levam a sério estes contos e dão veracidade
a eles, dizendo que a ilustração ora citada refere-se ao seu vizinho, amigo ou
conhecido!
Estes sãos “OS CONTOS E LENDAS DO
EVANGELICALISMO”.
Este longo conto é também muito conhecido, e utilizado mais como lição
de moral, e menos como exemplo de algo que aconteceu em algum lugar, ficando no
conto sem local e nomes definidos, mas é bem possível que em algum lugar, algum
pregador empolgado com a história, acrescente nomes, data e local, tornando o
conto uma lenda!

O jovem e o carro

Era uma vez um rapaz que ia muito
mal na escola. Suas notas e seu comportamento eram decepção para seus pais que
sonhavam vê-lo formado e bem sucedido. Um belo dia o bom pai propôs um acordo,
dizendo-lhe: “Se você meu filho mudar o comportamento, se dedicar aos estudos e
conseguir ser aprovado no vestibular para a faculdade de medicina lhe darei um
carro de presente.”!
Por causa do carro o rapaz mudou
da água para o vinho: passou a estudar como nunca e a ter um comportamento
exemplar, o pai estava feliz mais tinha uma preocupação: sabia que a mudança do
rapaz não era fruto de uma conversão sincera, mais apenas do interesse de obter
o automóvel isso era mal.
O rapaz seguia os estudos e
aguardava o resultado dos seus esforços. Assim o grande dia chegou: o rapaz foi
aprovado para o vestibular de medicina. Como prometido o pai convidou os amigos
e a família para festa de comemoração. O rapaz tinha por certo que na festa o
pai lhe daria o automóvel.
Quando pediu a palavra o pai
elogiou o filho e lhe passou as mãos uma caixa de presente. Acreditando que
estavam ali as chaves do carro ele abriu emocionado o pacote. Para sua surpresa
o presente era uma bíblia. Ele ficou visivelmente decepcionado e nada disse, simplesmente
colocou a bíblia numa estante da sua casa.
A partir daquele dia o silêncio e
a distancia separavam pai e filho. O jovem se sentia traído e agora lutava para
ser independente. Deixou a casa dos pais e foi morar no Campus da universidade.
Raramente mandava notícias, o tempo passou e ele se formou, conseguiu um bom
emprego em um hospital e se tornou um médico conceituado. Porém se esqueceu
completamente dos pais. Todas as alternativas do pai para reatarem foram em
vão. Até que um dia, o velho muito triste com situação adoeceu e não resistiu:
faleceu.
No enterro, a mãe entregou ao
filho indiferente, a bíblia que tinha sido o ultimo presente do pai, anos
atrás, quando ele passou no vestibular. Essa bíblia passou anos na estante dos
pais esperando que ele fosse buscá-la.
De volta a sua casa, o rapaz que
nunca perdoara o pai, quando colocou a bíblia em cima de um móvel, notou que havia
um envelope dentro dela. Ao abri-lo, encontrou uma carta e um cheque em branco,
assinado pelo seu pai datado do dia do resultado do vestibular em que fora
aprovado. A carta dizia:
“Filho querido, sei quanto deseja ter
um carro. Eu prometi e aqui está o cheque para você. Escolha aquele que mais
lhe agradar. No entanto fiz questão de lhe dar um presente ainda maior: a
bíblia sagrada. Nela aprenderás o amor a Deus e a fazer o bem não pelo prazer
da recompensa, mas pela gratidão e pelo dever da consciência.”

Corroído de remorso o filho caiu
em profundo pranto. 
MORAL DA HISTORIA
Como é triste a vida dos que não
sabem perdoar. Isso leva a erros terríveis e a um fim ainda pior. Antes que
seja tarde, perdoe aquele que você pensa ter feito o mal.
Não somos responsáveis apenas
pelo que fazemos, mas também pelo que deixamos de fazer.
Um Canal Reformado! Sempre reformando!

http://feeds.feedburner.com/Reformandome?format=xml

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *