Ativistas gays promovem a “indignidade humana”, você crer nela

 

O Brasil é um país de Fé, e como consequência tem sua tradição sim, tem regras, limites, moral princípios e bons costumes, e infelizmente grande parte dos movimentos GLBTT incentiva sexo indiscriminado, o que para a maioria da população é pornográfico.
A prova é essa cartilha [veja no link] que deveria ser restrita entre seus pares, como são as revistas pornôs de casais hetero, amantes da pornografia, não é mesmo?
 
Está na hora de nossas autoridades darem um basta nisso, estão confundindo direitos humanos com promiscuidade, banalização do sexo, como se todo gay fosse promiscuo. Em minha opinião, esta cartilha distribuída, que é exclusivamente pornográfica, teve um intuito de angariar simpatizantes para pornografia entre menores, o que é proibido por lei.
 
Como puderam perceber a população ficou chocada, a escola ficou chocada, as crianças ficaram chocadas os pais ficaram chocados e mesmo assim, vamos ter medo de falar e contestar. Querem em nome de uma bandeira de disseminação de preconceito, homofobia aproveitar a deixa, para promover e implantar pornografias nas mentes de nossos jovens e nas portas das escolas.
 
Creio que esses movimentos estão se perdendo, estão sem freio, pensando que o Brasil é um país sem lei. Também com tantos maus exemplos de corrupção, é de se esperar que se imagine que nosso país é uma ”zona”, uma “esbórnia”, sem regras sem limites.
 
A sociedade tem que se manifestar sem medo e botar freio nesta promiscuidade. Pais, profissionais, imprensa séria de moral e bons costumes não podem se acostumar com esse desrespeito. Querem respeito promovendo sempre a promiscuidade. Nunca vão conseguir! Me pergunto: cadê a secretaria de direitos humanos e a psicologia para ver esse crime contra a dignidade das crianças e adolescentes?
 
Escola não é lugar para se distribuir este tipo de material com conteúdo pornográfico, pois para os movimentos gays, que não tem limite sexual nenhum pode até ser normal, mas para a grande parte da sociedade não é, e não podemos aceitar – e aqui falo como mãe, psicóloga, e defensora sim do bem estar das crianças e adolescentes. Não podemos fechar os olhos para esta barbárie. Escola é lugar de aprender coisa séria, não bobagens, literalmente.
 
Um recado ao movimento GLBTT : Brasil não é Holanda. Ninguém quer saber como vocês transam. Vocês estão perdendo a noção do ridículo, do respeito humano, e depois vem com essa “gritaria de perseguição”…
 
Se coloquem um pouquinho no lugar desses pais, desses adolescentes e aprendam a lutar de forma digna pelos seus direitos. Isso que vocês promovem é “indignidade humana”. É crime expor crianças, adolescentes, menores, a conteúdo pornográfico. A lei é para todos. Espero que a imprensa secular esteja atenta ou realmente teremos que ter repúdio mesmo desse movimento GLBTT, que afirmo: não representa a maioria dos gays, que tem nos procurado e mostrado a sua insatisfação com essa militância que parece querer o tempo todo confrontar a sociedade usando a pornografia e a promiscuidade… Lamentável e criminoso.
 
Autora: Marisa Lobo

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *