Apesar de você não está em santidade

Ouve-me quando eu clamo, ó Deus da minha justiça, na angústia me deste largueza; tem misericórdia de mim e ouve a minha oração.Salmos 4:1

Ouve-me quando eu clamo, ó Deus da minha justiça, na angústia me deste largueza; tem misericórdia de mim e ouve a minha oração.Salmos 4:1

Ouve-me quando eu clamo, ó Deus da minha justiça, na angústia me deste largueza; tem misericórdia de mim e ouve a minha oração.Salmos 4:1

Ouve-me quando eu clamo, ó Deus da minha justiça, na angústia me deste largueza; tem misericórdia de mim e ouve a minha oração.Salmos 4:1

Ouve-me quando eu clamo, ó Deus da minha justiça, na angústia me deste
largueza; tem misericórdia de mim e ouve a minha oração.Salmos 4:1

Ouve-me quando eu clamo, ó Deus da minha justiça, na angústia me deste
largueza; tem misericórdia de mim e ouve a minha oração.Salmos 4:1

Ouve-me quando eu clamo, ó Deus da minha justiça, na angústia me deste largueza; tem misericórdia de mime ouve a minha oração. (Salmos 4.1)
 
“Como pode um Deus –
de Quem se diz que é amor e que pode fazer qualquer coisa que seja a Sua
vontade – como Ele pode contemplar um corpo fustigado pela dor sem ajudar? Como
Ele pode observar toda a miséria, o sofrimento, a necessidade da humanidade sem
colocar um fim nisso?” São considerações amargas, que acometem o coração de
muitos.

 

Uma jovem questionou
essas coisas. Devido a uma queda de cavalo, ela sofreu um grave ferimento e
ouviu dos médicos: “Inválida para sempre!” Todo o ser dessa moça se rebelou.
“Eu odeio Deus, eu O odeio! 
Como pode permitir isso, se Ele é Todo-poderoso?
Ele não ama ninguém!”, gritou.

 

Por um momento, seu
amigo que a acompanhou em todo o processo, ficou em silêncio. Embora fosse
dizer outra coisa, acabou perguntando: Amiga, doeu quando os médicos lhe
fizeram os moldes de gesso para seu aparelho ortopédico?

 

Se doeu? Foi terrível!

 

Mas seu pai não estava
presente quando eles fizeram isso?

 

É claro que estava!

 

E como ele permitiu
tal tortura? Ele poderia ter parado os médicos.

 

Mas foi necessário.
Isso me ajudou ao menos para eu poder sentar.

 

O amigo disse pausada
e emocionadamente: Então, seu pai também ficou olhando quando os médicos lhe
causaram tamanha dor, e ele permitiu porque a amava ou porque não a amava?

 

A paciente olhou seu
amigo com uma estranha luz em seus grandes olhos. “Você quer dizer que Deus
permitiu esse acidente porque Ele me ama?”

 

Seu amigo respondeu: O
que quero dizer é que Deus a ama, apesar do acidente, apesar de seu corpo estar
paralisado, apesar de você não O compreender ou O estar odiando. O amor dEle é
constante. E Ele não vai abandoná-la. 
 

BacklinksPR5

 
Receba os nossos estudos em tempo real

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *