Ánalise – CD Jesus, o Brasil Te Adora

Ánalise – CD Jesus, o Brasil Te Adora

Jesus, o Brasil Te Adora

Com a produção de Emerson Pinheiro, Jesus, o Brasil te adora é o nono álbum inédito da cantora Eyshila, lançado em novembro de 2012. Esse é o álbum que marca a nova fase da cantora, passando a integrar o cast da Central Gospel Music, depois de quase duas décadas lançando seus álbuns pelo selo da MK Music. 

Vamos, antes de tudo, contextualizar o momento recente. No final de 2011, Eyshila lançou seu álbum pela MK Music, Sonhos não tem fim. Entretanto, antes mesmo do seu lançamento, a cantora veio a público comunicar que seu contrato estava se encerrando e que seu próximo álbum seria lançado pela gravadora Central Gospel. Pouco depois, houve o anúncio oficial e, em maio, a assinatura do contrato. 

Aos poucos o trabalho foi sendo desenvolvido. O tema e mensagem do álbum vieram, e aos poucos as músicas e, claro, o repertório foi sendo montado. Logo ela foi para o estúdio para as audições e, em outubro, começou a produção e fabricação do mesmo. Paralelo a isto, a renomada Quartel Design começou as sessões de fotos para o álbum, que resultou em duas capas, para, assim como com o último álbum de Fernanda Brum, o público escolhesse o seu preferido. 

Capa escolhida, álbum produzido, em novembro sai da fábrica o álbum, com lançamento oficial no dia 22, na sede da gravadora, e nacional, no dia 24. A espera do público foi tão grande que, menos de um mês depois do lançamento, Eyshila recebia o seu Disco de ouro, pelas 40 mil cópias vendidas. Sem dúvida, foi uma marca na carreira dela. 

Quero falar, antes da análise, dois pontos. O primeiro é a bela capa do CD, que retrata, muito bem, o verde e amarelo do nosso Brasil. 

O segundo é sobre essa mudança. Desde o início, eu fui contrário à ela, pois se Eyshila chegou aonde está, muito deve à MK Music, que é uma das melhores gravadoras da música gospel brasileira. Infelizmente, embora eu tenha gostado do último álbum, percebeu-se claramente que ele não veio com toda aquela essência antes comum em seus CDs – muito pela errada atitude de divulgar mudanças antes mesmo do lançamento do álbum. Não cabe a mim julgar a mudança, ainda mais pela ciência que temos da relação fortíssima de Eyshila com Silas Malafaia, dono da gravadora nova. Eu espero muito pelos próximos álbuns dela, para poder tecer um comentário mais abalizado sobre essa mudança, pois acho que esse momento, entre o final de 2011 e o atual, está sendo de muita turbulência na vida da cantora – embora muitos vão discordar de mim. 

Antes que os críticos de plantão venham a encher nosso site de comentários, adianto: admiro, continuo admirando Eyshila, e amo seu ministério. Suas músicas tem sido grandes canais do evangelho para todos os que ouvem suas músicas. Não importa a gravadora, Eyshila continuará a ser a grande e abençoada cantora que sempre foi. A opinião sobre a saída dela é minha, particular. 

Vamos começar a análise. 

Pra representar bem o tema sobre o Brasil, temos um samba-rock bem montado. Jesus, o Brasil quer te adorar tem uma letra bem forte, com um brado de desejo de que o nosso país queira adorar a Jesus. Particularmente, o samba é bem animado, mas não combinou com a canção. Acho que um estilo bem pesado, com bastante bateria e guitarra, combinaria mais. Destaco o backing, muito bem colocado – não é exagerado, dá o apoio necessário. A voz de Eyshila também é excelente. Me lembrou alguns toques de Pavão Pavãozinho. Belo começo 

Continuamos com Geração que dança, boa e velha conhecida nossa, de David Quinlan. Aqui ela ganha uma repaginação – não apenas uma regravação – completa, diferente do que estamos acostumados. Simplesmente ficou demais! Caiu como uma luva o ritmo, bem animado, com a percussão no fundo e os toques muito pontuais dos metais. A voz dela combinou perfeitamente. Embora a versão de Quinlan seja mais de “dançar”, essa versão é bem animada. Excelente backing no coro. Nota 10! 

Profetiza, tem uma introdução muito interessante, que começa só no teclado e vai ganhando força aos poucos. A canção me dá uns toques de canções antigas dela. A letra é bem forte, falando sobre a nossa missão de agirmos como profetas – ao longo da canção vemos que ela segue a risca o título dela. O coro tem um leve contraste com o restante da canção, não só na voz, mas também no arranjo de cordas no fundo. Excelente canção, um dos destaques do álbum, sem dúvida. 

A introdução é bem suave, com o teclado e a bateria. Eu me arrependo tem uma letra muito linda, falando sobre arrependimento. A voz de Eyshila fica mais suave aqui, o que, creio eu, ficou perfeito com a canção. Os arranjos são bem suaves e leves, o que se mostram pontuais para a canção. O coro é lindo demais, não só na letra, mas o conjunto voz/arranjo – Eyshila guardou sua força exatamente para o coro. Destaco para a bela releitura do coro de Conversão. 

Um duo lindo de Eyshila com Jozyanne é a essência de Jesus, que é uma belíssima canção, tocada apenas no violão e na viola – deu um toque especial. A letra é linda demais – uma das melhores: “Se eu me sentir quebrado, ele é o meu oleiro. Se eu me sentir sozinho, é o divino companheiro”. A canção me lembra demais Seja o centro, do Diante do Trono. Uma das mais lindas, sem dúvidas. 

Continuamos com Jeová Rafá, cura as famílias, que tem uma introdução bem interessante, em uma mescla de vários estilos. A estrofe é bem conduzida, suavemente. A letra é bem poderosa, falando sobre ministração e restauração de famílias. O coro é muito bonito, com um arranjo mais pesado – apenas não gostei da quebrada da bateria, uma “firula” desnecessária. O backing se mostra muito bem colocado durante toda a canção. Excelente ministração de Eyshila. 

Novamente um samba-rock, mais leve do que o anterior, traz Sonho todo dia. Voltamos com uma canção com a temática do Brasil. A música tem uma batida bem interessante, que nem chega a ser tão samba. A voz de Eyshila ficou mais suave, sem tanta força no coro. Não gostei do coro de Vencendo vem Jesus – não acho que tenha se encaixado na música. 

Te adoro tem uma introdução muito bonita, que me lembrou um pouco as antigas da Aline Barros. Um trio lindo de Eyshila com Davi e Verônica Sacer, que inclusive as vozes de ambas combinou muito bem. O coro é lindo, não tanto pela letra, mas principalmente pelo arranjo perfeito. O arranjo da estrofe, só no piano, ficou muito bom. A segunda parte se encaixou muito bem com a voz de Davi. Bela canção. 

A minha favorita do CD, sem dúvidas, é Eu corro para ti, que me lembra um pouco a canção anterior. A estrofe é bem suave, mas com uma letra bem forte. O contraste da estrofe com o coro é notório – aliás, o coro é simplesmente excepcional, perfeito. O pós-coro, também, é impecável. Na verdade, o conjunto da canção, dos arranjos, voz da Eyshila e o backing, faz dela, na minha opinião, a melhor de todas. Perfeita!

A canção Amo meu povo é simplesmente linda, emocionante, impecável. Essa é daquelas canções que tu ouvindo ela – principalmente o coro – tu tens vontade de se emocionar. A letra fala sobre o povo brasileiro e tudo o que nosso amado país tem. Como disse antes, o coro é maravilhoso. Não sei o que é melhor, se é a voz de Eyshila, o arranjo espetacular ou o toque das cordas no fundo. Perfeito! Sem palavras. Só ouvindo mesmo. 

Temos Todos os povos declarem que é, novamente, um estilo que lembra o samba-rock. Um dueto de Eyshila com Pregador Luo. A pegada da música é muito legal. Embora não seja fã do Pregador Luo, gostei do duo, quando ambos cantavam. É uma canção bem diferente do que estamos acostumados a ouvir de Eyshila. O coro é muito legal, bem leve. 

Adoração traz uma bela introdução, no violão, com alguns toques diferentes. A condução da estrofe, apenas no teclado e voz, ficou muito boa. A letra é muito bela e bem profunda, falando sobre a adoração: “Só é adoração quando eu estendo a mão, quando eu reparto o que é meu. Quando eu enxergo além, dos meus desejos; além do meu próprio ‘eu’”. O coro é bem forte, muito tocante. Excelente canção, com ótimos arranjos 

A penúltima canção do álbum é Dancing generation, que é exatamente a mesma canção de David Quinlan, mas cantada com a letra original, em inglês, de Matt Redman. Vale para aqui, os mesmos comentários da versão em português, apenas com um adicional: inglês muito bom, mesmo com um ou outro toque de métrica na estrofe. Excelente. 

Encerramos a canção com Jesus, o Brasil te adora. Infelizmente, a canção teve pouquíssima criatividade, primeiro por ter o nome praticamente igual ao da primeira canção – embora esse seja o título do álbum; segundo, pela letra, que não ficou boa, no coro fraco e principalmente quando ela passa a citar os nomes dos estados brasileiros. Tirando isso, ótima voz e arranjos. 

Bom, amados, confesso pra vocês que eu esperava um pouco mais de Eyshila, nessa mudança. Mas, como disse anteriormente, vamos esperar para um próximo álbum, nesse ano ou no ano que vem, para termos uma certeza de como estará Eyshila em um novo trabalho. Nem por isso, o álbum deixou de ter uma grande qualidade, e vale a pena comprar e ouvir. 

Que Deus te abençoe! 

@jonathacardoso

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *