A “conversão” de Harry Potter

A “conversão” de Harry Potter

Harry Potter, o bruxinho mais famoso do mundo converteu-se e se tornou um o cristão ortodoxo. As aventuras do feiticeiro ortodoxo não são parte de um novo livro de JK Rowling. Mas trata-se de uma peça de teatro escrita por um padre russo.
“Harry Potter arrependido e o milagre de fogo” é a tradução livre do padre que supervisiona o trabalho do departamento de jovens da diocese de Bugulma, na república russa.
No início da trama, Hedwig, coruja de estimação de Harry, traz uma notícia triste de Hogwarts. A batalha entre o bem e o mal terminou com vitória de Voldemort. Com isso, todos os amigos de Harry, Hermione e Ron além de quase todos os Weasley, morreram. Harry corre para ver Dumbledore, que o aconselha a encontrar “aquele que criou tudo”, pois Deus é o único que teria poder de parar Voldemort.
Harry então acaba indo para uma igreja ortodoxa, onde fica sabendo que os seus pais o batizaram pouco antes de morrerem. Ele chega até Jerusalém para ver a descida da Chama Sagrada, com seus novos amigos. Anastas e Agniya são dois irmãos ortodoxos que ele conheceu durante a viagem. O encontro final com Voldemort acontece na Terra Santa e, com a ajuda de São Cipriano, seu santo padroeiro, Harry derrota seu inimigo.
Padre Manuil explica que a peça descrita acima terá apresentações gratuitas e seu objetivo é apenas aproximar os jovens dos ensinamentos da igreja. Os atores são amadores, mas ele comemora o fato de ter recebido apoio da liderança da Igreja.
O teatro sempre fez parte da vida de Manuil, pois seu pai era um ator amador. O próprio padre participou de peças enquanto era estudante na Academia Eclesiástica e Seminário em São Petersburgo.
Como no restante do mundo, a série de livros e filmes sobre Harry Potter é sucesso na Rússia. Mas também muito criticada pelos cristãos. A Igreja Ortodoxa da Trácia afirmou que os livros “familiarizam as pessoas com magia, o mal, o ocultismo e demonologia” e que os ensinamento eram “puro satanismo.”
A primeira “resposta” dos ortodoxos veio de Andrei Kuraev, que escreveu em 2003 o livro “Harry Potter na Igreja” e a obra de John Granger “Procurando Deus em Harry Potter”. Agora com a peça, parece que a fama de Harry Potter chegou ao sincretismo moderno. Com informações de The Moscou News.
GospelPrime

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *