Artigos em Destaque

COMO CELEBRAR UM CASAMENTO NO CIVIL E NO RELIGIOSO

Ontem dia 08/01/2011 Celebrei mais um casamento. Que por sinal tudo ocorreu bem com a graça de Deus!
Esta postagens é dedicada aos noivos, que ficam desesperados em busca de orientação.
O casamento que realizei foi numa quadra de Esportes. Cada casamento pode ser conforme a vontade e a criatividades do casal. Por isso aqui está apenas um esboço que ajuda a orientar e dar idéias de como conduzir a cerimônia.
Abaixo segue em anexo mais orientações de Temóteo Ramos de Oliveira. Que escreveu o livro Manual de Cerimônias.
CASAMENTO NO RELIGIOSO
Entrada do Casamento
1º Pastor e Esposa (Júlio e Marta) Música – Ele é exaltado (Diante do Trono)
2º Bíblia (kelvin) Música-Te conhecer (Toque no Altar)
3º Florista 1 (Giovanna) padrinhos do noivo Música – O Tempo (Oficina G3)
4º Florista 2 (Natália) padrinhos da noiva Música-Aclame ao Senhor (Diante do Trono)
5º Petalista (Tainara) Entrada do noivo com Nenzico e Dirce Música – Eu vou Abrir meu coração (Fernandinho)
Após o noivo com os Pais entra João e Delvânia/Barrerito e wilza
6 º Petalista (Ana Louisa)Entrada da Noiva com Juventino e Fabiana – Música –Vem minha Noiva
Momento: Cerimônia com o Pastor Júlio Fonseca. Tema: Uma só carne.
Gênesis 2:21-24
21 – Então o SENHOR Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costelas, e cerrou a carne em seu lugar;
22 – E da costela que o SENHOR Deus tomou do homem, formou uma mulher, e trouxe-a a Adão.
23 – E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; esta será chamada mulher, porquanto do homem foi tomada.
24 – Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne.
7º Aliança- (Jamily) Música –Brilho do Amor(Cassiane)
Momento do compromisso
Alexsandro da Silva – Você aceita Janny de Paula Silva como sua legítima
esposa, prometendo amá-la e respeitá-la, na saúde e na doença na riqueza e na pobreza, até que a morte os separe?”
Janny de Paula Silva – Você aceita Alexsandro da Silva como seu legítimo esposo, prometendo amá-lo e respeitá-lo, na saúde e na doença na riqueza e na pobreza, até que a morte os separe?”
JURAMENTO
(noivo segura a mão da noiva na intensão de por as alianças)
Eu, Alexsandro da Silva – te entrego essa aliança como prova da minha fidelidade e do meu amor.
Eu, Janny de Paula Silva – te entrego essa aliança como prova da minha fidelidade e do meu amor.
8º Santa Ceia (Luenny) Música-(Agnus Dei- Aleluia)
Declarar que o casal está casado com os seguintes dizeres (Com autoridade espiritual que me foi assistida eu vos declaro Marido e mulher – Pode beijar a noiva) Pedir salva de palmas!!!
Momento : Santa ceia
I Corintios 11:23-26
23 – Porque eu recebi do SENHOR o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão;
24 – E, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim.
25 – Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim.
26 – Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha.
Momento : Oração Bênçãos Finais
9º Oração final ( Bênção aos noivos, todos de pé com mão direita erguida em direção ao casal)
Gostaria que todos ficassem de pé para pedirmos as bênçãos de Deus sobre esse casal.
10º Assinatura
Noivos e um casal de padrinhos do noivo e da noiva.
11º Saída dos noivos Música (Damas na frente >casal>Padrinhos.( O tempo não pode apagar- cassiane)
ANEXO:
Celebração de casamento
O casamento, como instituição divina que é, tem o seu fundamento, normas, e princípios contidos na Palavra de Deus. Quanto à maneira de celebrá-lo, não há muitas opções, se desejamos que o ato se realize satisfatoriamente, dentro dos critérios bíblicos, éticos, culturais e legais.
Temos duas modalidades de casamento: o casamento religioso com efeito civil, amparado no decreto-lei 1110, de 23 de maio de 1950, que consideramos em primeiro plano, e o casamento com caracteres apenas religiosos.
O casamento religioso com efeito civil, com fulcro no decreto-lei acima citado é celebrado pelo ministro e deve ter o seguimento abaixo:
1. Os nubentes devem, através do escrivão “ad hoc” que funciona na igreja, ou por conta própria, habilitarem-se para o casamento no cartório da sua circunscrição.
2. Após habilitados, apresentarão a certidão de habilitação ao escrivão “ad hoc” já referido, havendo antes comunicado e acertado tudo com o pastor da igreja, quanto à data e outras implicações de ordem eclesiástica.
3. Com base na habilitação, o escrivão “ad hoc” lavrará o termo de casamento em formulário oficial e o fará constarem livro próprio da igreja que servirá de prova para o registro civil do casamento.
Importante: Para evitar mal-entendidos que possam gerar desgostos na realização do casamento, é prudente que os nubentes sejam orientados pelo oficiante do casamento ou por seu pastor, se este não for o oficiante, quanto à significação do ato, e o que ele representa diante de Deus e da sociedade; é o que chamamos de aconselhamento pastoral antenupcial. Nesta ocasião, convém saber dos nubentes se sabem tudo sobre o regime que adotaram para se unirem em casamento perante a lei. Orientá-los a pedirem esclarecimentos no órgão oficial, se tiveram dúvidas, é uma boa medida.
• O ensaio para o ato, no local do evento, é de grande valia, pois isso evita procedimentos constrangedores na hora da cerimônia. Aconselha-se que o noivo sempre esteja à direita da noiva. Como disporão o cenário, fica a critério dos noivos, naturalmente ouvido o pastor da igreja ou o responsável pelo local onde se celebrará o ato.
• O oficiante deve familiarizar-se com os nubentes, tratando de guardar na memória os seus nomes ou tê-los anotados sobre a mesa (púlpito) para consulta quando necessário.
• O oficiante deve ter a certeza de que o termo foi lavrado de acordo com a habilitação expedida pelo Cartório. Este cuidado deve ter lugar bem antes do horário do casamento.
• É importante que a parte musical do ato religioso já esteja bem ordenada, para que não haja improvisações vexatórias, inclusive o músico que vai tocar na entrada dos nubentes deve ocupar o seu lugar com tempo suficiente. Se a música a ser tocada for em gravação, o operador deve estar no lugar do ato momentos antes, havendo já feito o teste de funcionamento dos instrumentos.
O ato civil
1. Os nubentes ingressam ao local da solenidade na forma que convencionaram, sob o som da música escolhida para o ato. O oficiante ao mesmo tempo ocupa a sua posição.
2. Os nubentes com as testemunhas se posicionam e logo o ministro dirá as seguintes palavras:
Comparecem a este santuário (fulano) e (fulana) para solenemente unirem-se em matrimônio, havendo sido cumpridas as formalidades legais, conforme consta do documento nº_________________ expedido pelo______________________, etc.
• O oficiante perguntará se entre os presentes há alguém que se oponha a este ato. (Esta pergunta consta das formalidades capituladas no Código Civil.)
• Em seguida o oficiante fará ao noivo a seguinte pergunta:
(Nome do noivo) persiste no firme propósito de, por livre e espontânea vontade, casar-se com (nome da noiva)?
(O “Sim!” deve ser ouvido, sem o que não houve a manifestação da vontade para a efetivação do casamento.)
• A mesma pergunta acima será repetida à noiva que por sua vez deverá também responder: “Sim!”
• Ato seguido, o oficiante pronunciará as seguintes palavras: “Diante de vossa manifestação de vontade, de vos receberdes em matrimônio, eu, representando, neste momento o magistrado civil, em nome da Lei vos declaro casados. (Nesse instante a audiência deve estar de pé, logo após deverá ocupar os seus assentos.)
• O oficiante anunciará a leitura do termo de casamento que será efetuado pelo escrivão “ad hoc”. Após a leitura, seguir-se-ão as assinaturas no termo do livro da igreja, na ordem prevista na lei: oficiante, noivo, noiva, testemunhas.
Logo após as assinaturas, o ministro iniciará o ato religioso, com uma leitura bíblica, seguida de uma breve oração, estando todos de pé. Os textos lidos podem ser, por exemplo: Gênesis 2.18-24; Hebreus 13.1a; Efésios 5.22-33; João 21.11, etc… Feita a leitura e a oração, o ministro fará as explanações, conforme a direção do Espírito Santo. O tempo para esta elocução não deve ir além de 15 minutos. Se houver mais de um cântico, coral, conjunto, ou solo, deve o primeiro ser executado logo após a leitura da Palavra e antes de qualquer explanação. Os demais logo após a palavra de aconselhamento. Recomenda-se não incluir no programa mais de dois louvores.
A palavra
• Feita a explanação da Palavra de Deus, o ministro se dirigirá aos nubentes com as seguintes perguntas:
O irmão (fulano) promete diante de Deus, tomar a irmã (fulana) como sua legitima esposa, ajudá-la, assistir-lhe, protegê-la em todos os momentos da vida sejam de bonança ou de adversidade? (Repetir as expressões acima com a noiva.)
Após, o ministro dirá: “Diante do que acabais de afirmar perante mim, _de vos receberdes em matrimônio conforme a Palavra de Deus, eu, ministro do Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo, vos proclamo casados, constituídos em família, marido e mulher.”
Colocação das alianças
O ministro, tomando as alianças nas mãos, as levantará um pouco e, separando-as uma da outra, dirá: “Que estas alianças, feitas de metal nobre, sirvam como memorial deste pacto feito diante das testemunhas presentes”, etc. O ministro entregará ao noivo a aliança da noiva para que nela a coloque no dedo e mão correspondente. O mesmo fará com a noiva.
Após, o ministro os fará ajoelhar para receberem as bênçãos Com os presentes de pé orará especificamente pela vida que os nubentes iniciarão, a partir daquele momento, na qualidade de casados. Ato seguido, o ministro impetrará a bênção apostólica sobre o casal na mesma forma que o faz ao fim de cada culto. Só que terá em conta as pessoas dos nubentes e não à congregação. Conclui dizendo: “O que Deus ajuntou não o separe o homem.”
TAG: COMO CELEBRAR UM CASAMENTO NO CIVIL E NO RELIGIOSO
Deus te ama e tem um plano maravilhoso de vida e salvação para você!!!
Pastor Júlio Fonseca


Meu nome é Júlio Fonseca sou Pastor da Igreja de Deus no Brasil na pequena cidade de Anhanguera/Go. Usando a internet para levar a palavra de Deus a todos. Com paz, amor e respeito.

Compartilhe esta postagem

Compartilhe no Facebook

5 Respostas para “COMO CELEBRAR UM CASAMENTO NO CIVIL E NO RELIGIOSO”

  1. Anonymous disse:

    Parabéns! O único site que realmente explicou como realizar um casamento evangélico. Ajudou-me muito no minha primeira cerimônia de casamento.

  2. Anonymous disse:

    gostei muito bem completo

  3. Damasceno disse:

    Irmão Julio Fonseca, parabéns pelo excelente artigo sobre a celebração de um casamento cristão.
    Gostaria de enfatizar as palavras que Jesus Cristo ministrou no SERMÃO DO MONTE, especificamente no capítulo 5, versículos 33 ao 37, cuja ordem determina que “de modo algum jureis por nada…”. Na carta de Tiago 5:12, reitera que “não deve-se fazer voto nenhum, para não cairdes em juízo”. Com base nessas ordenanças de Jesus quanto aos JURAMENTOS (VOTOS), temos que revisar as bases da celebração do casamento cristão quanto ao momento dos JURAMENTOS (VOTOS), pois enquadram-se dentro da desaprovação anunciada por Jesus Cristo.
    Deus celebrou, no Éden, a união de Adão e Eva (primeira celebração de um casamento) sem exigir juramentos, conforme Gn 2:24 “Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne”. A benção de Deus foi impetrada sem os tradicionais JURAMENTOS atuais. Precisamos ter muito cuidado com as tradições sociais, conforme advertido por Jesus Cristo em Mt 15, pois “o que contamina o homem é o que sai da boca do homem”. Juramento e/ou votos estão enquadrados nessa condição. Comecei a revisar as bases cerimoniais do casamento visando colocar a Palavra de Deus em prática conforme o PADRÃO DE DEUS. Devemos ter muita atenção para os detalhes esscenciais da Ordem de Deus, pois foi por causa de um fruto que foi colhido e comido por Adão e Eva, que a morte espiritual foi ordenada por Deus na vida de Adão e Eva e estendida a todo homem.

Faça uma Réplica

© 2014 Ida Gospel. Todos os direitos reservados. site Admin
subir